Sidebar Menu

Publicidade: a vez da experiência

A propaganda ganhará outro patamar com a chegada do 5G
“Responder à audiência atendendo e prevendo suas necessidades será um diferencial, já que, além de captura de dados, teremos uma tecnologia mais nítida e mais ágil, que possibilitará ainda mais interações”, prevê Glaucia Montanha, diretora geral de mídia da Y&R Brasil

Quando o 5G desembarcar de vez no Brasil, a publicidade passará a ter uma nova métrica: a experiência. É isso que prevê Glaucia Montanha, diretora geral de mídia da Y&R Brasil, uma das maiores agência de publicidade do país, de acordo com a Kantar Ibope Media. "Responder à audiência atendendo e prevendo suas necessidades será um diferencial, já que, além de captura de dados, teremos uma tecnologia mais nítida e mais ágil, que possibilitará ainda mais interações", avalia. Nesse contexto, Glaucia costuma dizer que ter um profissional de tecnologia na agência, ou mesmo nos departamentos internos de marketing das empresas, será essencial para o movimento que se aproxima. "Isso envolve muito mais que um conhecimento, e sim uma agilidade de conversar, pois será preciso prever e entregar diferentes gatilhos de comunicação para diferentes audiências", explica. A Y&R tem uma equipe técnica que estuda há mais de seis meses a evolução dos formatos e interatividade para recomendar o melhor uso da tecnologia quando o 5G estiver disponível.

"Será possível você ter experiência com propagandas mais longas, já que essa velocidade de interação com o consumidor vai ser imperceptível. Porém, além disso, as formas de interação também vão se transformar muito", antecipa Rafael Pitanguy, vice-presidente de criação da Y&R. Como vários aparelhos estarão conectados entre si, a interação coletiva será outra forma de lidar com a propaganda. Sem contar que dados mais refinados de cada consumidor possibilitarão maior conversão do consumo. Pitanguy ressalta que será preciso ter bastante cuidado com a coleta de dados, pois o direito à privacidade – colocado em evidencia pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que começou a vigorar em agosto – terá de ser respeitado.

Este case faz parte da reportagem Revolução exponencial, publicada na edição 335 da revista AMANHÃ e pode ser lida na íntegra aqui, mediante simples cadastro. A matéria também foi publicada no Portal AMANHÃ com atualizações (acesse aqui).

Veja mais notícias sobre BrasilTecnologia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 18 Abril 2021

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection