Sidebar Menu

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

Lucro da Lojas Renner cai mais de 90% no primeiro trimestre

Companhia destaca que as vendas através de canais digitais continuaram apresentando bom ritmo de crescimento
De acordo com o relatório divulgado, a Renner tratou de antecipar várias etapas do projeto omnichannel e da digitalização que estavam previstas para ocorrerem entre 2020 e 2022

A Lojas Renner sentiu os impactos do coronavírus em meados de março, fator que influenciou parte dos resultados do primeiro trimestre. As vendas entre janeiro e março totalizaram R$ 1,5 bilhão, queda de 6,1% em relação ao igual período de 2019. O lucro foi de R$ 10,4 milhões, uma queda vertiginosa de 93,6% em relação ao valor do primeiro trimestre de 2019 (R$ 161,6 milhões). 

Segundo a companhia, até o dia 13 de março, as vendas estavam em patamares de crescimento similares aos do quarto trimestre de 2019, com fluxo crescente nas lojas, não deixando de lado a forte base de comparação do primeiro trimestre de 2019 (12,7%). A coleção Outono/Inverno foi lançada no início de março e já apresentava sinais de boa aceitação por parte dos clientes. A partir da semana seguinte, em virtude dos desdobramentos da situação da Covid-19, a Renner reduziu o horário de funcionamento de algumas unidades e fechou outras em localidade onde havia recomendação por parte das autoridades. "Entre os dias 18 e 20 de março, a companhia fechou temporariamente todas as suas lojas físicas, o que impactou de forma significativa o desempenho no período. Desta forma, as vendas em mesmas lojas apresentaram redução de 10,7% no primeiro trimestre", revela a varejista em seu relatório trimestral. 

A Renner destaca que as vendas através de canais digitais continuaram apresentando bom ritmo de crescimento, com aumento de 32,9% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, mesmo com a redução nos investimentos de marketing, que diminuiu de maneira propositada as vendas nos últimos dez dias do mês de março. "Isto impactou negativamente a venda do período, que até então vinha com crescimento semelhante ao quarto trimestre de 2019, mas possibilitou a alavancagem nos dias subsequentes, o que vem se refletindo em crescimentos muito acima dos anteriores nas últimas semanas do período atual. Merece destaque também o aumento de vendas da Camicado, fruto da implementação de diversas melhorias no site e app e também pelo tipo de produto vendido, que teve maior procura a partir do momento em que as pessoas passaram a ficar mais tempo em casa.", detalha a Renner. De acordo com o relatório divulgado, a Renner tratou de antecipar várias etapas do projeto omnichannel e da digitalização que estavam previstas para ocorrerem entre 2020 e 2022, e que foram implementadas, em sua maioria, ao longo de março, abril e maio. 

"Dada a limitada visibilidade de resolução desta crise de saúde, ainda existe uma grande incerteza dos impactos futuros nas principais variáveis macroeconômicas, como nível de emprego, renda, massa salarial e confiança dos consumidores. Estamos acelerando o processo de transformação digital do negócio, com antecipação de etapas do roadmap de nossos projetos estruturantes, consequência das necessidades geradas pelo momento que vivemos", relata a companhia ao falar de suas perspectivas para os próximos trimestres.

Veja mais notícias sobre EmpresaRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 02 Junho 2020

No Internet Connection