Para crescer, é preciso reconhecer

Mesmo em momentos de pouca bonança, é possível manter a equipe motivada, recompensando os bons talentos
Se a maré não está favorável neste momento, o ideal é trabalhar com o que se tem em mãos

É certo que no mercado de trabalho, em um período pandêmico, existem alguns oásis em que certos setores crescem e veem a crise à distância. Mas, para a maioria das atividades, a vida em meio à crise do coronavírus traz preocupações e a necessidade de apertar os cintos. Se isso é vivido por grande parte das empresas, certamente colaboradores também sentem essa pressão. As crises econômicas são fatores que, infelizmente, fazem parte da vida das corporações, sejam essas globais ou nacionais. O importante, neste contexto, é manter o foco, o diálogo entre a equipe e buscar incansavelmente as oportunidades. Mas como fica o funcionário neste cenário?

Gosto de relembrar ao leitor que, mesmo em momentos de pouca bonança, é possível manter a equipe motivada, recompensando os bons talentos. Afinal de contas, quando se tem uma tempestade, é necessário ter bons profissionais a bordo para manter a casa em ordem. As crises exigem mudanças no sistema de gestão com novas ferramentas de valorização das equipes, já que sabemos que recompensar aumenta o engajamento das pessoas e, também, melhora os resultados da organização. Em épocas de estabilidade econômica, a premiação ocorre por meio de bônus, porcentagens variáveis de salários sobre os resultados e promoções. Mas como gratificar se as empresas estão passando por dificuldades? Como pagar a variável se temos encolhimento de companhias e não crescimento? E, ainda, como promover, se estamos enxugando cargos e não fazendo novas ofertas?

Obviamente, precisamos ser muito criativos para desenvolver estas novas ferramentas de premiação. Uma delas, que tem custo menor e permite que os colaboradores sejam gratificados, é o desenvolvimento profissional proporcionado pela organização, ou seja, que não envolve diretamente valores monetários, mas atualizações. Cursos, por exemplo, são uma forma de garantir a participação em um evento, mesmo que a distância, incentivando atividades fora da empresa. Outro ponto é investir tempo em uma comunicação interna bastante estratégica, motivacional e focada no momento. Recompensar publicamente méritos da equipe também é tática eficaz. O reconhecimento por um feito, muitas vezes, vale mais que um bônus.

Se a maré não está favorável neste momento, o ideal é trabalhar com o que se tem em mãos. E a área de gestão de pessoas tem papel fundamental neste contexto. Criar estratégias, manter a equipe e cultivar a produção em níveis aceitáveis precisam ser ações do dia a dia. O reconhecimento de hoje pode ser feito em pequenos gestos, para que, no amanhã, ao final desta crise, o reconhecimento também possa estar atrelado a algo financeiro.

Veja mais notícias sobre Recursos HumanosCarreiraGestão.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 28 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection