Mercado pet avança 13,8% no Brasil

Empresas do Paraná faturam com produtos e serviços inovadores para atender a 6% da fatia nacional
Os sócios do MyPet Daniel Cooper, Raquel Sillas, Bruno Ferreira e Thiago Sillas

As empresas brasileiras que atendem o mercado pet em diversas categorias devem faturar neste ano R$ 46,5 bilhões, de acordo com o Instituto Pet Brasil. O volume equivale a um acréscimo de 13,8% nas vendas em relação à movimentação no ano passado. A tendência se repete no Paraná, que tem 6% da população de animais de estimação em todo o Brasil, que soma 139,3 milhões de indivíduos.

As residências do Paraná abrigam pelo menos 8 milhões de animais de estimação, entre cães, gatos, aves canoras e ornamentais, segundo o último Censo Pet, do Pet Brasil. Isso significa que há dois animais de estimação para cada três pessoas que vivem no estado.

Os números da My Pet, um pioneiro plano de assinatura mensal de cuidados veterinários, com sede em Curitiba, confirmam os dados do mercado. A empresa paranaense iniciou as atividades em novembro de 2020 e registra um crescimento acelerado, muito acima das expectativas dos idealizadores.

Em sete meses de atuação, a My Pet cresceu 678%. Até junho de 2021, a carteira de clientes ganhou 746 vidas ativas na capital paranaense, em um total de 496 contratos. Até o final deste ano, a expectativa é crescer 1.200% e ter um volume de 1,8 mil vidas ativas somente na matriz, na capital do Paraná.

Demanda latente
Segundo o diretor-geral do My Pet, Bruno Ferreira, os resultados mostram o quanto o serviço de plano de assinatura tem valor real e atende a uma demanda latente do segmento. "O que oferecemos tem uma aderência muito forte aos novos hábitos de consumo da população. Cada vez mais as pessoas desejam que os serviços cheguem a suas casas e estão mais preocupadas com a saúde e qualidade de vida do seu animal de estimação", avalia.

Foram dois anos debruçados sobre as peculiaridades da medicina veterinária para customizar o modelo de APH (Atendimento Pré-Hospitalar) aos pets, com apoio de um sistema operacional inteligente, até o serviço inovador ser lançado no mercado. Se for urgência ou emergência, explica o diretor-geral, o My Pet envia uma ambulância ao endereço, com a estrutura adequada e assistência ágil.

O plano My Pet tem uma mensalidade de R$ 64,90 e o atendimento pode ser solicitado sempre que o animal de estimação precisar de consultas, vacinas do protocolo anual ou exames que possam ser realizados em casa, sem limite de visitas ou adição de taxas extras.

Medicação, conexão e suplementação
Outra empresa curitibana e pioneira está no mercado de manipulação veterinária no país. A rede de franquias DrogaVET registrou um marco em 2020. Em dezembro, teve o maior crescimento da história, iniciada em 2004, com o incremento de 40% no número de franquias e de 28% no faturamento médio da rede. A expectativa é ampliar em 20% o faturamento este ano, na comparação com 2020, além de finalizar a implantação de 21 novas unidades já contratadas, completando 74 em operação até o final do ano.

Para atingir expressivos resultados, a DrogaVET investiu na área de P&D, reformulou seu plano de marketing e iniciou a construção de uma nova fábrica. A marca, que antes tinha como estratégia falar com os médicos veterinários profissionais que prescrevem os medicamentos manipulados, ampliou o foco em 2021 e passou a conversar diretamente com os tutores.

Prestes a completar 30 anos de mercado, a curitibana Organnact, do ramo de suplementos para pets, registrou um crescimento de 62% nas vendas dos produtos voltados à saúde e bem-estar de cães e gatos no primeiro semestre de 2021, em relação ao mesmo período do ano passado. Entre os produtos que tiveram maior crescimento nas vendas estão os que oferecem um conjunto completo de vitaminas para uso em pets de todas as idades e que aumentam a imunidade dos animais, contribuindo para uma vida mais longa e de qualidade.

Em outras palavras, uma dieta mais rica em nutrientes e na suplementação como forma de prevenir doenças futuras, explica o diretor de comercial e marketing da Organnact, Jorge Bacila. "O crescimento nas vendas revela que a pandemia trouxe um novo comportamento, uma nova preocupação com os animais. As pessoas estão mais dispostas a investir nos seus pets, que na pandemia passaram a ser realmente membros da família", detalha.

O app da iPatas
Do Norte do Paraná, a plataforma iPatas, de Maringá, tem apenas um ano de lançamento e já experimenta a força do setor pet. Nestes primeiros 12 meses ela soma 7 mil downloads e mais de 3 mil cadastros. Desde junho de 2020 no mercado, o app conecta seus clientes a 170 fornecedores de cerca de 15 mil produtos e serviços para animais de estimação, tudo em um mesmo local, que podem ser adquiridos por meio do app, sem a necessidade de sair de casa.

Além de Maringá, a plataforma atua em Londrina, Cambé, Arapongas e Sarandi. Até o final do ano, a operação estará em mais cidades do estado, garante o sócio-proprietário Felipe Ramalho. "Recebemos um aporte financeiro de um investidor com atuação nacional e isso amplia ainda mais nosso projeto de consolidação e expansão do iPatas", revela.

Quer saber mais sobre negócios do Paraná?
Receba diariamente a newsletter do Grupo AMANHÃ. Faça seu cadastro aqui e, ainda, acesse o acervo de publicações do Grupo AMANHÃ.

Veja mais notícias sobre Negócios do SulEmpreendedorismoParaná.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 01 Dezembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/