Intraempreendedorismo: um motor para seus negócios

Funcionários têm a liberdade para buscar oportunidades de inovação
Apesar do intraempreendedorismo se popularizar cada vez mais, menos de 1% dos colaboradores atuam como intraempreendedores no Brasil

Você já ouviu falar em intraempreendedorismo? Esse conceito vem sendo muito debatido nas empresas, especialmente em corporações inseridas no ambiente de inovação. Em resumo, o intraempreendedorismo representa a capacidade dos funcionários de atuarem como empreendedores dentro de suas organizações. Ou seja, na prática, os colaboradores não apenas desempenham suas funções de maneira tradicional, mas também têm a liberdade para buscar oportunidades de inovação e melhorias dentro das empresas.

Apesar de ser um conceito que vem se popularizando cada vez mais, menos de 1% dos colaboradores atuam como intraempreendedores no Brasil, de acordo com o GEM (Global Entrepreneurship Monitor). Esse é um número muito baixo comparado aos 8% de países como Reino Unido e Austrália. Portanto, se trata de uma tendência que ainda precisamos inserir com mais força no dia a dia dos negócios. Mas como podemos melhorar este número e implementar o intraempreendedorismo?

O começo para tudo isso é a autonomia. Quando os funcionários têm a liberdade de tomar decisões e agir de maneira independente, eles se sentem mais engajados em seus projetos. Essa autonomia permite que eles identifiquem problemas, encontrem soluções criativas e implementem mudanças sem a necessidade de aprovações constantes. Além disso, a autonomia estimula a criatividade, que pode levar a soluções inovadoras que podem melhorar a eficiência operacional e a qualidade dos produtos ou serviços. A inovação impulsionada pelo intraempreendedorismo pode abrir novas oportunidades de mercado e expandir os negócios. Novos produtos ou serviços podem gerar receita adicional e aumentar a competitividade da empresa.

Ou seja, estamos falando aqui de um aspecto muito importante, que vai além da inovação de processos. Estamos falando em aumento de produtividade, maior retenção de talentos e maior possibilidade de geração de lucro. Afinal, qual negócio não está interessado em gerar mais receita? Portanto, as empresas que desejam se manter competitivas e relevantes no mercado devem abraçar o intraempreendedorismo e promover a autonomia como um pilar fundamental.

Veja mais notícias sobre CarreiraGestãoRecursos Humanos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 19 Mai 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/