Sidebar Menu

Healthtech curitibana Hilab terá laboratório portátil de exames

Os novos testes serão feitos em uma hora com métodos menos invasivos, como amostra de saliva
O Hilab Molecular vai ampliar a capacidade de realização de novos exames usando metodologia de biologia molecular de segunda geração

Apontada como uma das startups brasileiras mais atraentes de 2020, graças a seu laboratório de exames portátil conectado à internet, a healthtech curitibana Hilab vai lançar este ano um novo dispositivo portátil ainda mais revolucionário. O Hilab Molecular vai ampliar a capacidade de realização de novos exames usando metodologia de biologia molecular de segunda geração. Os novos exames serão feitos em uma hora com métodos menos invasivos, como amostra de saliva e de swab nasal (cotonete longo e estéril). O atual Hilab usa amostra de sangue.

A Hilab nasceu em 2010 e vem crescendo ano a ano com seu dispositivo portátil de diagnóstico de doenças, considerado o menor laboratório do mundo. A tecnologia usa a inteligência artificial para realizar 20 exames como HIV, dengue, zika e hepatite, a partir de qualquer local. Em 2020, a startup curtibana lançou um teste rápido com o dispositivo para o novo coronavírus e a expectativa da empresa é ampliar número de testes disponíveis para cerca de 100 exames.

A necessidade de isolamento social durante a pandemia da Covid-19, inclusive, garantiu um grande crescimento no ano passado. Em 2020, a healthtech faturou R$ 200 milhões e teve um crescimento superior a 50 vezes no número de pacientes atendidos em relação ao ano anterior. "Antes da pandemia, nós estávamos em cerca de 250 cidades do país. Agora estamos em mais de 1 mil municípios", lembra Marcus Figueiredo, fundador e CEO da Hilab.

Logo no início da pandemia, a Hilab se mobilizou para apoiar empresas e organizações, como Loft, Clube Athlético Paranaense, Sesi, além de estabelecimentos de saúde (farmácias Pague Menos e Vale Verde), clínicas (Davita), planos (Unimed e Porto Seguro), bem como órgãos públicos e comunidades em vulnerabilidade social por meio de projetos e ações (Favela Sem Corona e Bora Testar Rocinha). O laboratório portátil curitibano realizou mais de 2 milhões de exames apenas ao longo de 2020 e já estava disponível em grandes redes de farmácias (Pague Menos, Panvel, Nissei, Drogaria Araújo e Promofarma), mesmo antes da pandemia.

Para a Hilab, 2020 ainda marcou a entrada de dois novos fundos de investimento, em uma rodada de US$ 10 milhões para compor o grupo de sócios atuais ao lado da Positivo Tecnologia, Monashees e Qualcomm Ventures. Os novos sócios são a Península Participações e a Endeavor Catalyst. "Houve a fase das fintechs, a fase das startups de transporte, e agora é o momento das healthtechs", comemora Figueiredo.

Desde 2018, a startup curitibana integra o Tecnoparque, programa municipal que oferece redução de 5% para 2% no Imposto Sobre Serviços (ISS) a empresas que investem em tecnologia e inovação. A Hilab tem atualmente 219 funcionários, com 90% atuando na sede em Curitiba.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 26 Janeiro 2021

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection