Emprego, faturamento e renda na indústria avançam em novembro

Resultados indicam recuperação moderada, mas insuficiente para reverter a queda na receita
A utilização da capacidade instalada caiu 0,1 ponto percentual em novembro em relação a outubro, para 80,5%, a quinta queda consecutiva

Os indicadores de emprego, faturamento e renda na indústria avançaram em novembro de 2021, de acordo com os Indicadores Industriais, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), refletindo uma recuperação moderada. O faturamento real da indústria de transformação cresceu 0,7% em novembro, na comparação com outubro. A alta reverte a sequência de três quedas consecutivas, período no qual o faturamento havia recuado 7,8%.

Após três meses consecutivos de estabilidade, o emprego na indústria de transformação registrou avanço de 0,2% em novembro frente a outubro. Na comparação com novembro de 2020, o emprego expandiu 4,1%. Dessa forma, o indicador retorna à trajetória crescente apresentada desde o segundo semestre de 2020, que registrou desaceleração a partir de junho.

De acordo com o gerente de análise econômica da CNI, Marcelo Azevedo, o avanço disseminado dos indicadores reflete a recuperação moderada provocada pela maior circulação de pessoas e pela confiança com o arrefecimento da crise sanitária em novembro. "Os avanços, contudo, são insuficientes para reverter a tendência de queda do faturamento e da massa salarial reais, pressionados pela inflação, em elevação em 2021", aponta.

As horas trabalhadas na produção apresentaram avanço de 0,7% em novembro em relação a outubro. O indicador tem oscilado nos últimos meses e a alta não foi suficiente para compensar a queda de outubro (-0,9%). Na comparação com novembro de 2020, o número de horas trabalhadas avançou 1,6% e a comparação do acumulado em 2021 até novembro mostra alta de 10,1% frente ao mesmo período de 2020.

A massa salarial da indústria de transformação teve aumento de 1,1% em novembro na comparação com outubro, mas continua abaixo do patamar pré-pandemia e, desde agosto de 2020 tem mostrado dificuldades para se recuperar de forma consistente. O rendimento médio real, por sua vez, cresceu 0,7% em novembro, em relação a outubro. O resultado quebra uma sequência de quatro quedas consecutivas, mas tem apresentado forte tendência de queda.

A utilização da capacidade instalada caiu 0,1 ponto percentual em novembro em relação a outubro, para 80,5%, a quinta queda consecutiva. Apesar do resultado, o índice está 1,1 ponto acima da utilização observada em novembro de 2020. Veja os principais indicadores na tabela a seguir.

Quer saber mais sobre indústria?
Receba diariamente a newsletter do Grupo AMANHÃ. Faça seu cadastro aqui e, ainda, acesse o acervo de publicações do Grupo AMANHÃ.

Veja mais notícias sobre BrasilEconomiaIndústria.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 23 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/