Curitiba é a cidade mais inteligente do país em ranking nacional

Estudo da Conexis Brasil Digital e da Teleco também apontou Porto Alegre como cidade amiga do 5G
Segundo o ranking, a capital paranaense possui 21 dos 27 serviços inteligentes pesquisados, sendo que três deles foram oferecidos entre 2021 e 2022

Capital do Paraná, Curitiba ficou em primeiro lugar no ranking das cidades com serviços inteligentes, levantamento feito pela Conexis Brasil Digital e pela consultoria Teleco. Segundo o estudo, Curitiba possui 21 dos 27 serviços inteligentes pesquisados, sendo que três deles foram oferecidos entre 2021 e 2022. São considerados serviços utilizados diretamente pelo cidadão nas áreas de mobilidade urbana, e-gov, saúde, educação e meio ambiente. Nesta sexta edição do ranking, a capital paranaense subiu cinco posições em relação ao levantamento do ano passado, alcançando o primeiro lugar. "Este resultado mostra todo o trabalho da prefeitura feito em sinergia entre todas as secretarias e instituições municipais, que entenderam a necessidade de atuar com pensamento inovador, utilizando a tecnologia a favor da melhora da qualidade de vida de forma efetiva, sustentável e intersetorial", destacou Dario Paixão, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação.

"O ranking das cidades com serviços inteligentes avalia a existência e o grau de utilização de serviços inteligentes nas cidades. A infraestrutura de telecomunicações é a base para a disponibilização desses serviços para a população. Aqui, o maior beneficiado é o cidadão, com serviços públicos mais eficientes e que facilitam a sua vida.", afirmou o coordenador de Infraestrutura da Conexis, Diogo Della Torres. Na lista, Porto Alegre obteve a sexta posição, enquanto Florianópolis é a 23ª colocada, atrás de Guarapuava (PR), a 18ª (confira o ranking completo, assim como a metodologia na apresentação ao final desta reportagem). O resultado foi anunciado na quarta-feira (13), durante o Painel Telebrasil Summit 2023, em Brasília.

O evento também anunciou os municípios que foram destaque na edição de 2023 do ranking cidades amigas do 5G. O ranking atual substituiu o anterior, denominado como cidades amigas da internet, e se alinhou à chegada da nova tecnologia ao país. Em um pouco mais de um ano de operação no Brasil, o 5G já chegou a mais de 12,7 milhões de acessos e mais de 170 cidades atendidas. Além da adequação da legislação municipal à Lei Geral de Antenas, o levantamento também avalia a burocracia enfrentada pelas empresas para instalar antenas como, por exemplo, a necessidade de ir fazer a solicitação em mais de um órgão municipal; o prazo para a instalação e o custo.

A cidade de Americana, em São Paulo, venceu a disputa do ranking cidades amigas do 5G. Na oitava colocação, Porto Alegre (RS) foi a capital mais bem colocada e a única cidade fora do Sudeste entre as dez primeiras colocadas. O secretário municipal do meio ambiente, urbanismo e sustentabilidade, Germano Bremm, recebeu o prêmio. "Porto Alegre foi a primeira depois de Brasília a disponibilizar o sinal 5G, resultado de amplo projeto de preparação para receber a tecnologia. A desburocratização, digitalização dos processos e licenciamento automático foram decisivos para a cidade se tornar referência nacional", destaca Bremm. A capital gaúcha obteve este resultado devido à implementação da Lei Complementar 838/2018, regulamentada pelo decreto 20.215/2019, que instituiu o autolicenciamento para instalação das antenas por parte das empresas de telefonia. Com a medida, o prazo médio da liberação baixou de dois anos para apenas um dia. A Procempa foi a responsável pelo desenvolvimento dos sistemas que atendem ao licenciamento.

"As empresas têm cumprido o seu papel e estão investindo para a expansão do 5G, atendendo muito além das metas definidas pela Anatel, mas para que a nova tecnologia chegue a cada vez mais brasileiros é preciso que o poder público municipal mantenha um ambiente favorável para a implantação e expansão das infraestruturas de telecomunicações em seu território. Precisamos que as cidades que ainda não o fizeram atualizem suas leis de antenas. Além disso, é preciso que as cidades desburocratizem o processo dando celeridade aos protocolos", afirmou o presidente executivo da Conexis, Marcos Ferrari. Ele destaca que hoje as antenas são pequenas, podem ser instaladas nas fachadas de edifícios ou no mobiliário urbano, mas muitas cidades ainda tratam a instalação dessas infraestruturas como se fosse uma construção de edificação.

Entre os destaques por região, as cidades premiadas nessa edição são: na região Norte, a cidade de Ananindeua (PA); no Nordeste, Salvador (BA); no Centro-Oeste, Anápolis (GO); no Sudeste, Americana (SP); e no Sul, Canoas (RS). Por outro lado, o levantamento indica que ainda há muitos municípios com processos de licenciamento caros, burocráticos, lentos e com leis desatualizadas, dificultando o avanço da conectividade, que é a base do desenvolvimento da economia das cidades e do bem-estar de seus cidadãos. A cidade com a pior nota geral no ranking de 2022 foi Petrolina (PE). Já Palmas foi a capital com pior posição no ranking. A capital do Tocantins ficou na 196ª posição. Na lista das 10 cidades com piores notas também estão: Jundiaí (SP), Caucaia (CE), Olinda (PE), Maracanaú (CE), Taboão da Serra (SP), Ipatinga (MG), Maricá (RJ) e Alvorada (RS). Confira, também, a seguir, a apresentação com o resultado completo da pesquisa, assim como a metodologia empregada.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 13 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/