Sidebar Menu

Saúde: consulta em qualquer lugar

O acesso ao 5G permitirá serviços como telemedicina
A tecnologia também facilitará o tráfego de exames de imagem de pacientes em situações de urgência

Do ponto de vista da saúde, o acesso ao 5G permitirá serviços como telemedicina, dando suporte ao diagnóstico remoto e ao tratamento e monitoramento de pacientes, além de viabilizar o aumento da cobertura dos serviços. Com a chegada da nova tecnologia, os benefícios da telemedicina serão impulsionados de forma mais rápida, na medida em que o tráfego de dados entre os equipamentos e os dispositivos dos pacientes ou instituições de saúde poderá acontecer em tempo real.

"Antigamente, tínhamos apenas uma opção quando estávamos doentes e precisávamos de cuidados especializados: ir ao médico ou hospital. Para pessoas em áreas rurais, com profissionais de saúde localizados a vários quilômetros de distância, o risco era ainda maior, pois viajar doente ainda é desafiador. Mas, com o advento da telessaúde e dos sistemas de monitoramento residencial remoto, o cenário deve mudar", prevê Jihan Zoghbi, presidente da Associação Brasileira CIO Saúde (ABCIS), entidade que promove o intercâmbio de conhecimento e práticas em TI no segmento de saúde. O 5G também facilitará o tráfego de exames de imagem de pacientes em situações de urgência.

"Mesmo fora do hospital, com uma conexão rápida, o médico poderá receber o exame com agilidade e fazer diagnóstico sem perder tempo para se locomover até o hospital. Além disso, a conexão entre instituições de saúde permitirá que especialistas realizem interconsultas de maneira muito mais rápida", exemplifica Jihan. Para ela, o avanço é ainda mais importante no Brasil, onde a maioria dos hospitais de pequeno e médio porte não possui especialistas. Outra aplicação poderá ser até mesmo fazer exames que necessitam de toque, por exemplo. Bastará que no posto de atendimento ou hospital tenha uma pessoa que saiba manejar uma luva especifica para esse fim. O médico, de onde estiver, poderá diagnosticar e concluir qual tratamento dará.

Este case faz parte da reportagem Revolução exponencial, publicada na edição 335 da revista AMANHÃ e pode ser lida na íntegra aqui, mediante simples cadastro. A matéria também foi publicada no Portal AMANHÃ com atualizações (acesse aqui).

Veja mais notícias sobre TecnologiaSaúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 18 Abril 2021

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection