Embrapii e BNDES destinam R$ 50 milhões a inovação na indústria

Recursos são para projetos de inovação em transformação digital de indústrias de todos os portes e setores
Fiates (ao centro) afirma que parceria fortalece a competitividade da indústria brasileira

Indústrias brasileiras de todos os portes e setores podem acessar recursos na ordem de R$ 50 milhões (sendo parte não reembolsável) para aplicar em projetos de inovação na área de transformação digital. Apresentada nesta semana na Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), em Florianópolis, a iniciativa é da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) em parceria com o Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES).

"Essa parceria vai ao encontro da necessidade de fortalecer nossa capacidade de inovação e desenvolvimento da competitividade da indústria brasileira", afirmou o diretor de inovação e competitividade da Fiesc, José Eduardo Fiates. "Nosso incremento do Produto Interno Bruto (PIB) somente terá um crescimento efetivo com a agregação de tecnologia e inovação e, neste caso, o investimento estatal é fundamental", salientou.

Ele ainda observa que o Brasil precisa avançar em sua política industrial, pois atualmente investe em torno de 6 bilhões de dólares anuais em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I). "É um montante muito aquém dos investimentos da China ou dos Estados Unidos", comparou. Segundo ele, os investimentos anuais chineses em PD&I se aproximam de U$ 250 bilhões (em torno de 2% do seu PIB de US$ 12 trilhões) e representam o dobro do volume de investimentos dos Estados Unidos, cujo PIB é da faixa de US$ 20 trilhões.

O diretor substituto de planejamento e relações institucionais da Embrapii, Fábio Stallivieri, salienta que a parceria foca o desenvolvimento de projetos e soluções tecnológicas em transformação digital. "É aberta uma nova janela de oportunidade para as empresas do estado avançarem em termos de inovação e, em consequência, em sua produtividade, reduzindo significativamente o custo da inovação para as empresas", destaca. Segundo Stallivieri, até 50% dos recursos não são reembolsáveis e os outros 50% devem ser divididos entre as empresas e uma das 76 unidades Embrapii, entre elas os Institutos Senai de Inovação em Florianópolis e Joinville. "Temos uma grande expectativa de alcançar um maior número de empresas, permitir alavancar recursos privados de maneira mais ágil e contratar projetos em período mais curto, além de aumentar o alcance e a efetividade dos recursos ao longo do tempo", disse Sérgio Schmidt, engenheiro da área industrial do BNDES.

Dois focos principais norteiam a parceria. O primeiro é voltado para "Soluções digitais para Agro, Saúde, Cidades Inteligentes e Indústria 4.0" e prevê investimentos em soluções digitais que tornem serviços e processos produtivos mais seguros, eficientes e inteligentes, como automação e robótica; Internet das Coisas (IoT); Inteligência Artificial (IA); Blockchain; computação em nuvem, entre outros. Já o segundo está dedicado a "Sistemas e Componentes para Conectividade" e é direcionado para o desenvolvimento de tecnologias para serviço de telefonia móvel de quinta geração (5G). A iniciativa visa desenvolver inovações em soluções aplicadas a plataformas de hardware, seus sistemas e componentes para o desenvolvimento das tecnologias de 5G e semicondutores.

Além de recursos não reembolsáveis, as empresas também contarão com apoio técnico para desenvolver o projeto. O Ecossistema da Embrapii possui uma rede de 76 Unidades Embrapii-ICTs credenciadas com infraestrutura de ponta e pesquisadores qualificados para apoiar a indústria a superar seus desafios tecnológicos.

Veja mais notícias sobre BrasilIndústriaSanta CatarinaTecnologia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 27 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/