Projeto de expansão do HPS prevê R$ 140 milhões em investimentos

A nova estrutura terá oito andares em um terreno de 11 mil metros quadrados de área ampliada
Cerca de R$ 5 milhões serão investidos pela prefeitura para a revitalização da fachada atual

Prestes a completar 80 anos em 2024, o Hospital de Pronto Socorro (HPS) será ampliado para qualificar o atendimento de emergência em Porto Alegre, com um investimento previsto de R$ 140 milhões. A nova estrutura terá oito andares em um terreno de 11 mil metros quadrados de área ampliada, com até 110 novos leitos, que se somarão aos 95 existentes na estrutura atual. Os detalhes foram apresentados nesta segunda-feira (11). A expansão obedece à Resolução 50 do Ministério da Saúde, segundo a qual novas construções devem atender aos princípios de acessibilidade e qualidade da assistência prestada à população. O HPS realiza 120 mil atendimentos por ano, em média. A instituição tem 19 mil metros quadrados de área, 1 mil servidores e realizou, em 2022, 300 mil consultas, 2,3 mil internações e 168 mil exames. Cerca de R$ 5 milhões serão investidos pela prefeitura para a revitalização da fachada atual.

A ideia do projeto de revitalização e expansão da instituição é criar um contraste entre o design original e as intervenções posteriores, respeitando a concepção inicial e trazendo à luz todas as marcas de 80 anos de evolução. A estimativa para entrega desta etapa é ao final de 2024. O acolhimento aos pacientes não será alterado com as mudanças. Todos os atendimentos assistenciais devem ocorrer no novo edifício, e o prédio histórico passará por reajustes para melhor distribuição de áreas não assistenciais, como almoxarifado, vestiário e patrimônio. Nos últimos anos, a prefeitura fez diversos investimentos no hospital, como a reforma e modernização da UTI pediátrica e a nova enfermaria de trauma pediátrico, bem como a implantação de sete leitos de enfermaria para trauma, oito leitos intensivos e climatização e salas de recreação. Mais de R$ 18 milhões foram investimentos para melhoria da infraestrutura e compra de equipamentos hospitalares como tomógrafo, autoclaves, dispensadores de medicamentos, boiler, camas elétricas e monitores de multiparametrização. Além disso, há uma economia de 600 mil litros de água por mês devido à troca do sistema de ar comprimido. Estão em andamento melhorias no telhado para evitar infiltrações.

Veja mais notícias sobre SaúdeEmpresaRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 22 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/