Pesquisadores se unem para descobrir os efeitos da Covid na pele

Estudo da PUCPR busca voluntários que respondam questionário anônimo
A pesquisa já conta com a participação de mais de 6 mil pacientes que tiveram Covid-19 e apresentaram ao menos uma manifestação na pele

Fadiga, depressão, dificuldade de concentração, dores intensas. Além dos efeitos no pulmão, cérebro e coração já relatados em diferentes estudos, a infecção pelo novo coronavírus também pode se manifestar na derme. Por isso, pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) resolveram investigar os efeitos do pós-covid na pele. O trabalho é uma parceria com cientistas de outras quatro universidades brasileiras – Faculdade de Medicina da UNESP (Universidade Estadual Paulista), Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e Faculdade de Medicina do ABC (FMABC).

"Buscamos identificar as manifestações clínicas associadas à Covid-19 na derme. Já percebemos muitos casos de alopecia no pós-covid, agora queremos também avaliar o efeito da infecção em pacientes que apresentam doenças de causa imunológica, como hanseníase, hidrosadenite supurativa e vasculopatia livedóide, por exemplo", explica o dermatologista Caio Cesar Silva de Castro, professor da Escola de Medicina da PUCPR e pesquisador do Epicenter (Centro de Pesquisas Clínicas da PUCPR).

A pesquisa já conta com a participação de mais de 6 mil pacientes que tiveram Covid-19 e apresentaram ao menos uma manifestação na pele, como prurido, urticárias, aftas e queda de cabelo. A fim de fomentar a pesquisa e obter resultados mais concretos, o grupo de pesquisadores busca voluntários contaminados ou com suspeita de infecção por Covid-19 para responder um questionário online. A participação no estudo "Aspectos cutâneos da síndrome pós-covid" pode ser realizada por meio de um site, de forma anônima, e leva menos de cinco minutos. Nenhum dado ou identificação pessoal é solicitado.

Veja mais notícias sobre ParanáSaúde.

Veja também:

 

Comentários: 3

ELIZABETH AP. ANDRADE em Domingo, 12 Dezembro 2021 13:33

Tive covid leve em Abri 2021, sequela: dor no couro cabeludo sem queda de cabelos, dor nos músculos, dor no couro cabeludo que muda de lugar, agora esta na nuca lado esquerdo descendo para o pescoço

Tive covid leve em Abri 2021, sequela: dor no couro cabeludo sem queda de cabelos, dor nos músculos, dor no couro cabeludo que muda de lugar, agora esta na nuca lado esquerdo descendo para o pescoço
ELIZABETH APARECIDA DE ANDRADE em Domingo, 12 Dezembro 2021 13:40

Depois da primeira dose da VACINA AstraZeneca Oxford, 4 dias depois tive, falta de acessibilidade total na mão e no braço esquerdo, fiz queimadura no dedo sem sentir dor alguma, voltou a acessibilidade más no braço e mão esquerdo sinto dor ao contato com agua fria

Depois da primeira dose da VACINA AstraZeneca Oxford, 4 dias depois tive, falta de acessibilidade total na mão e no braço esquerdo, fiz queimadura no dedo sem sentir dor alguma, voltou a acessibilidade más no braço e mão esquerdo sinto dor ao contato com agua fria
Vanessa Lourenco Miaco em Domingo, 17 Julho 2022 16:45

Tomei 3 doses da vacinação. Depois de alguns meses infelizmente tive covid. Estou grávida de 8 meses, peguei um covid leve a uma semana e agora e parece que está passando. Comecei a sentir dores no couro cabeludo inexplicáveis faz 3 dias. Ela fica mudando de lugar. Fica sensível ao toque e não apresenta nada visivelmente e até o momento sem queda. ?

Tomei 3 doses da vacinação. Depois de alguns meses infelizmente tive covid. Estou grávida de 8 meses, peguei um covid leve a uma semana e agora e parece que está passando. Comecei a sentir dores no couro cabeludo inexplicáveis faz 3 dias. Ela fica mudando de lugar. Fica sensível ao toque e não apresenta nada visivelmente e até o momento sem queda. ?
Visitante
Sábado, 22 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/