Novo terminal de cargas internacional do Porto Alegre Airport entra em operação

O investimento foi de cerca de R$ 50 milhões
Os trabalhos iniciaram em junho do ano passado e geraram mais de 300 empregos diretos

Mais uma grande obra capitaneada pela Fraport Brasil – Porto Alegre foi entregue ao Rio Grande do Sul. O terminal de cargas internacional do Porto Alegre Airport entrou em operação. O empreendimento oferece maior capacidade de processamento de cargas, tanto para a importação, quanto para a exportação, aumentando de 35 mil para até 100 mil toneladas ao ano. O projeto foi executado pela A.Yoshii Engenharia, empresa paranaense com mais de 55 anos de atuação no mercado. Os trabalhos iniciaram em junho do ano passado e geraram mais de 300 empregos diretos. O investimento foi de cerca de R$ 50 milhões.

Esta obra integra os investimentos em melhoria do sítio aeroportuário conduzidos pela Fraport Brasil – Porto Alegre, à frente das operações do aeroporto desde janeiro de 2018. O novo terminal internacional não faz parte das obrigações do contrato de concessão com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). "A Fraport Brasil decidiu investir em um novo terminal de cargas internacional por acreditar no potencial econômico do Rio Grande do Sul. Com instalações mais modernas e com maior capacidade de processamento, o terminal abre espaço para que mais empresas e indústrias optem pelo modal aéreo no momento de exportar ou importar", explica Andreea Pal, CEO da Fraport Brasil.

O complexo possui área de movimentação de caminhões com espera para 10 veículos, 587 vagas de estacionamento, 11 espaços locáveis, escritórios de órgãos públicos e 17 docas, sendo nove para atividades de importação e outras oito dedicadas à exportação. Estruturas complementares como subestação elétrica, estação de tratamento de esgoto, casa de bombas, depósito de resíduos, espaço para recarga e abastecimento de empilhadeiras e guarita para controle de acesso também foram construídas.

"Além de oferecer espaços mais qualificados para a armazenagem, com novas câmaras frigoríficas e um novo armazém para cargas perigosas, o TECA também possui uma estrutura que suporta a operação administrativa dispondo de diversos espaços para locação. O projeto arquitetônico e soluções aplicadas permitem maior verticalização de produtos, com ganhos de capacidade de processamento", afirma Sabine Trenk, COO da Fraport Brasil.

Da concepção à construção, muitas soluções de engenharia foram utilizadas para um aproveitamento mais adequado de recursos, como a cobertura do galpão principal, em que foram utilizadas joists [uma espécie de viga] na solução a fim de reduzir o peso da estrutura e ganhar maiores vãos livres, o que facilita o uso do espaço interno para cargas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 25 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/