RS assume coordenação da Aliança Láctea Sul Brasileira

O grupo terá Rodrigo Rizzo à frente do biênio 2024/2025
Hoje, quatro de cada dez litros de leite produzidos no Brasil vêm da região Sul

O Rio Grande do Sul assumiu, nesta quarta-feira (22), a coordenação da Aliança Láctea Sul Brasileira. O grupo, que é formado por lideranças do segmento do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, terá Rodrigo Rizzo, da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), à frente do biênio 2024/2025. Entre os projetos a serem fomentados, está a definição de estratégias que efetivem a implementação do plano de desenvolvimento da competitividade global do leite Sul-Brasileiro, apresentado na reunião pelos três estados. Rizzo assume, conjuntamente, a cadeira da Aliança Láctea na Câmara Setorial do Leite, tendo como suplente um representante do Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat).

Representando Santa Catarina e coordenando os trabalhos até então, Airton Spies passou o cargo ao colega gaúcho, reforçando dados que indicam a força do Sul no setor lácteo. "Hoje, quatro de cada dez litros de leite produzidos no Brasil vêm da região Sul. Da produção industrializada, 34% está nos três estados, onde o índice de formalização do leite chega a 92%", salientou. O resultado, avaliou ele, é bastante positivo, principalmente em comparação a outras regiões como o Nordeste, onde apenas metade do leite captado é destinado às indústrias para processamento. Rizzo frisou que trabalhará para avançar e dar sequência ao trabalho já realizado.

Representando as indústrias gaúchas, o secretário-executivo do Sindilat, Darlan Palharini, salientou a importância da união da produção do Sul no enfrentamento de dilemas que vêm dificultando o crescimento do setor, como a inundação de produto importado no mercado nacional. Palharini ainda alertou que os projetos precisam avaliar as diferentes realidades da produção nacional. "Hoje, a régua que mede a produção do Sul não é a que mede o Norte", alertou. Preocupação que também foi destacada pelo presidente da Câmara Setorial do Leite, Ronei Volpi. "Não conseguimos atingir o ponto para solucionar a questão das importações", disse.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 23 Fevereiro 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/