Sidebar Menu

Intenção de consumo das famílias tem maior queda em uma década

Recuo foi de 13,1% na passagem de abril para maio
Na comparação com maio de 2019, o acesso ao crédito foi o único entre os subíndices que apresentou variação anual positiva

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), medida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), recuou 13,1% na passagem de abril para maio deste ano. Essa foi a queda mais intensa do indicador desde o início da pesquisa, em janeiro de 2010.

De acordo com a CNC, o resultado foi influenciado pelos impactos econômicos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Além disso, o índice caiu para 81,7 pontos e atingiu o menor patamar desde novembro de 2017, permanecendo abaixo do nível de satisfação (100 pontos), onde se encontra desde 2015. Em relação a maio de 2019, a retração foi ainda maior (-13,7%), a queda mais acentuada desde agosto de 2016.

Na comparação com abril deste ano, os sete componentes tiveram queda, com destaque para o momento para a compra de bens duráveis (-22,7%). Na comparação com maio de 2019, o componente de acesso ao crédito foi o único entre os subíndices que apresentou variação anual positiva (5,4%). Entre os seis componentes em queda, o maior recuo também foi observado no momento para duráveis (-21,4%).

Com Agência Brasil 

Veja mais notícias sobre BrasilEconomiaCoronavírus.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 15 Julho 2020

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection