Sidebar Menu

Saúde e higiene serão prioridades nas empresas depois da Covid-19

Gestores já precisam pensar em estratégias para lidar com a pandemia num eventual retorno às atividades
O primeiro ponto a ser levado em conta é como a empresa ficou durante o período da quarentena

A crise da Covid-19 é uma realidade que está afetando muitas empresas. Eventualmente, elas vão retornar ao trabalho, e já se deve ter uma preocupação em relação a isso, principalmente nas questões de higiene, saúde e medicina no trabalho. Todos os especialistas são unânimes nesse momento em aportar que o mundo será diferente depois dessa crise. Isso terá impacto direto nas relações das pessoas e dos cuidados em espaços comuns, como ocorrem nas empresas. "Serão necessárias tomadas de decisões rápidas, como acontece em relação a possíveis contágios e necessidade de afastamentos", avalia Tatiana Gonçalves, sócia da Moema Medicina do Trabalho.

"Os médicos do trabalho ganham agora mais uma demanda, pois precisam estar aptos a realizar a triagem dos trabalhadores com sintomas de Covid-19, seja de forma presencial ou remota, conforme a realidade de cada companhia ou clínica de medicina do trabalho, contribuindo para diminuir a procura dos serviços públicos", explica Tatiana. Ao menor sintoma da doença, o médico do trabalho deverá emitir o atestado do médico assistente ou um atestado com prazo máximo de 14 dias, considerando os sintomas respiratórios ou o resultado laboratorial positivo para a doença. Este atestado estende-se às pessoas que residem no mesmo endereço. Outra importante preocupação que as empresas terão será em relação às demais doenças. "Passamos por um período de grande estresse e as pessoas estão com muitas preocupações. Assim, os médicos devem estar atentos a outros pontos, como doenças psicológicas e até reflexos dessa tensão na saúde física", alerta.

Outra preocupação com as empresas será com a limpeza e higienização, que deverão ser imediatas antes da retomada e frequentes a partir desse momento, minimizando os riscos de contágios. "O primeiro ponto a ser levado em conta é como a empresa ficou durante o período da quarentena. Muitas vezes será necessário um mutirão de limpeza para garantir a higiene do local e preservar a saúde dos funcionários", explica Gabriel Borba, sócio da GB Serviços. Ele explica que, após a pandemia, as coisas mudarão nas empresas, precisando ser muito maior a preocupação com a higiene e saúde dos locais de trabalho. "Não adianta o funcionário ficar de quarentena em casa e ao voltar se contaminar, sendo que a empresa não está devidamente higienizada. Por isso, as empresas precisam agregar novos conceitos de limpeza às atividades. Não basta mais tirar só o pó da mesa", defende.

Veja mais notícias sobre CoronavírusEmpresa.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 24 Outubro 2020

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection