Decreto reverte extinção da estatal de chips Ceitec

Documento ainda prevê a recomposição dos quadros técnicos
A companhia atua em projetos e fabricação de circuitos integrados, chips, módulos e tags de identificação por radiofrequência

Um decreto emitido pelo governo federal autoriza a reversão do processo de liquidação do Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec), sediado em Porto Alegre. A companhia atua em projetos e fabricação de circuitos integrados, chips, módulos e tags de identificação por radiofrequência, para aplicação em diversos setores. O decreto excluiu o Ceitec do Programa Nacional de Desestatização (PND). O texto revogou ainda a qualificação da empresa para o Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República (PPI).

O documento possibilita a retomada de decisões de gestão, atualmente impedidas pela condição jurídica de empresa em liquidação. Segundo o decreto, a reversão vai reduzir os riscos de perdas relativas às instalações, máquinas e equipamentos, além de permitir o reingresso da empresa pública no mercado e a retomada dos negócios em menor prazo. "A empresa representa um meio de aquisição, pelo Brasil, do conhecimento científico, tecnológico e produtivo detido por poucos países do mundo, em um setor no qual tem ocorrido nos últimos anos uma expressiva transformação tecnológica, impulsionada principalmente pelo amplo uso de chips semicondutores em componentes eletrônicos, presentes em praticamente todas as atividades da sociedade moderna", destaca um trecho do decreto.

A iniciativa ainda prevê a recomposição dos quadros técnicos e a elaboração de um plano de recuperação das atividades para atender às demandas dos setores público e privado. O comunicado também informa que um plano de negócios deve ser elaborado com novas rotas tecnológicas e industriais definidas para que a empresa possa atuar no mercado nacional e internacional.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 22 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/