Programa com participação do governo do RS incentiva investimentos na Amazônia

Amazônia +10 foi apresentado no South Summit
“Se quisermos ser respeitados como país pelo resto do mundo, precisamos preservar a Amazônia”, defende Odir Dellagostin, presidente da Fapergs

Nesta quinta-feira (5), segundo dia de South Summit, o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), Odir Dellagostin, apresentou o Amazônia +10 ao lado do presidente da Fapesp, Carlos Américo Pacheco, e um dos coordenadores do projeto, Rafael Pontes. A iniciativa propõe-se a apoiar projetos de pesquisa em colaboração voltados à conservação da biodiversidade e mudanças climáticas, à proteção de populações e comunidades tradicionais, aos desafios urbanos e à bioeconomia como política de desenvolvimento econômico na região. A expectativa é que os recursos para o financiamento de pesquisa atinjam a marca dos R$ 500 milhões com a adesão de governos, empresas e organizações sociais.

"Nosso objetivo é explorar, no bom sentido, os potenciais da Amazônia. Se quisermos ser respeitados como país pelo resto do mundo, precisamos preservá-la e promover o desenvolvimento sustentável", defende Dellagostin. Em entrevista ao Portal AMANHÃ, o presidente da Fapergs revelou que o Rio Grande do Sul esteve sempre presente nas definições do projeto desde o início. "Precisamos atrair novos investidores, desenvolver laboratórios de impacto e pesquisa para que o conhecimento e infraestrutura fiquem na região. Queremos estimular a ciência a impactar de forma eficaz a região da Amazônia", afirma.

Dellagostin incentivou, ainda, as startups presentes no evento a observarem as oportunidades que surgem a partir de iniciativas de fomento do tipo. "Com isso, podemos engajar toda a comunidade científica do país, não só fazendo pesquisas sobre a Amazônia, mas na Amazônia", explica. A estimativa é que dentro de um mês a iniciativa seja lançada oficialmente em Manaus, através de um fórum que promete realmente alavancar o projeto. "O Amazônia +10 irá proporcionar formação e recursos humanos locais, algo muito importante para reduzir as desigualdades de hoje entre as regiões do Brasil", conclui.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 23 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/