Por que nossos profissionais andam insatisfeitos?

Recentemente, li uma reportagem que trazia um interessante levantamento sobre o mercado de trabalho brasileiro. Mesmo em um mercado com um grande contingente de pessoas a procura de uma oportunidade, 70% das pessoas que trabalham se dizem insatisfeit...
Por que nossos profissionais andam insatisfeitos?

Recentemente, li uma reportagem que trazia um interessante levantamento sobre o mercado de trabalho brasileiro. Mesmo em um mercado com um grande contingente de pessoas a procura de uma oportunidade, 70% das pessoas que trabalham se dizem insatisfeitas e/ou gostariam de pedir demissão dos cargos. 

Em um mercado com milhões de desempregados, como é o caso do brasileiro, muitas pessoas aceitam os problemas e dificuldades das empresas em que trabalham para não ficarem desocupadas, mas não topariam seguir nessas condições se o país estivesse crescendo e gerando emprego. Na maioria dos casos, as próprias corporações são responsáveis por esse cenário.

Quando uma grande empresa faz uma fusão com outra, unificando marcas, operações e departamento, o processo muitas vezes não é bem digerido. Há uma mudança brusca de cultura organizacional que gera angústia e desmotivação nas equipes. Para as empresas, é essencial medir o relacionamento interpessoal, sentir o clima da “rádio-corredor” e tentar motivar os colabores.

Muitas chefias não são bem preparadas para dar o feedback e não reconhecem o valor do trabalho do outro. Em algumas empresas, também existe ainda a figura do chefe que pouco entende tecnicamente do setor ou função que comanda. Os comandados têm maior know-how que o chefe e se sentem desprestigiados, até pela diferença salarial entre ambos. Não basta selecionar os melhores profissionais no mercado de trabalho. É preciso também saber conduzir essa equipe.

Para os profissionais que desejam pedir demissão, indico que preparem-se financeiramente para três meses de despesas até uma recolocação. Depois de sair da empresa atual, não fique criticando os problemas organizacionais. Se você se expressar desta forma, sua recolocação pode não acontecer tão cedo ou até nem mesmo nem se efetivar. 

Veja mais notícias sobre Recursos Humanos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 12 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/