É tempo de revelar o amigo secreto

Adentramos Dezembro e o mundo corporativo vira, literalmente, uma grande festa. Dentre as atrações que praticamente todas as empresas gostam de promover está o Amigo Secreto. Alguns amam; outros sentem arrepios só de ouvir as palavras. Mas, se não é ...
É tempo de revelar o amigo secreto

Adentramos Dezembro e o mundo corporativo vira, literalmente, uma grande festa. Dentre as atrações que praticamente todas as empresas gostam de promover está o Amigo Secreto. Alguns amam; outros sentem arrepios só de ouvir as palavras. Mas, se não é uma unanimidade entre as pessoas, por que muitas empresas ainda insistem em realizar tal “integração entre colaboradores”? 

Em sua concepção, a ideia é muito boa, pois a troca de presentes também se traduz na troca de carinho, no estreitamento de relacionamentos e, se muito bem conduzida, no alívio de toda a tensão que possivelmente se tenha vivido naquele ano. Porém, é na institucionalização do amigo secreto que mora o problema. Ninguém pode se sentir “obrigado” a participar. Se isso ocorrer, são grandes as chances de dar errado, como, por exemplo, pessoas sortearem o nome de alguém com quem não se tem um bom relacionamento, não se dedicarem à busca de um presente com a cara do amigo ou, ainda, de receberem presentes que não condizem com a sua pessoa. Aí, o que era para ser uma confraternização vira reclamação. 

Então, para não errar, ao decidir que se fará o amigo secreto, a primeira regra é: convide as pessoas, mas jamais as obrigue a participar. Estipule um presente condizente com o grupo. Por exemplo: se são pessoas que ganham bem, então o valor pode ser mais arrojado. Se for uma equipe que tem remunerações mais modestas, pense em valores apropriados. Regra básica: se a ideia for misturar os públicos, sempre balize pelo menor valor, para que pessoas da base não se sintam obrigadas a comprar algo com valor monetário muito alto. E, se nesta mesma ideia, você, colaborador, tirar uma pessoa da liderança, não se sinta obrigado a comprar algo além do estipulado. Lembre-se de que o gesto vale muito mais do que o valor. Tendo isso definido, seja criativo e aproveite a oportunidade para fazer desta ferramenta de relacionamento uma confraternização alegre e inesquecível. 

Veja mais notícias sobre Recursos Humanos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 10 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/