Uma seleção de vinhos para homenagear um ícone da gastronomia do Sul

Tannat é o primeiro rótulo de uma dezena que destacará legado de Chico Tasca
“Desejo ver o rosto dele aonde for para amenizar a saudade que ele deixou aqui”, confidencia Rodrigo ao Cepas & Cifras

Rodrigo recorda do fato como se fosse hoje. "A ideia de começar a produzir vinhos surgiu do próprio Chico no ano passado, em função do boom do serviço de entregas e do nosso conhecimento regular sobre a bebida", contou com exclusividade ao Cepas & Cifras o filho mais velho de Chico que se tornou sócio no empreendimento na ocasião. "Fizemos até uma reunião com uma importadora para comercializar os rótulos dela, porém depois decidimos que faríamos um vinho por conta própria. Brindamos, gargalhamos e pensamos juntos que tudo daria certo. Foi um momento inesquecível", revela ele, contando detalhes de como nasceu a Tasca Wines. Chico vendeu vinhos por 34 anos no Barranco, um ponto de encontro de artistas, jogadores de futebol, políticos e, principalmente, amantes da boa mesa de Porto Alegre. O estabelecimento é a marca mais lembrada na categoria Restaurante no Top of Mind Porto Alegre, pesquisa de share of mind pioneira no Brasil, também realizada na capital gaúcha. Chico faleceu em dezembro aos 59 anos.

Em breve chegará ao mercado o primeiro rótulo da variedade Tannat (foto acima), produzido pela vinícola Família Bebber, de Flores da Cunha (RS), pelas mãos do talentoso enólogo Felipe Bebber. "O Tannat Chico Tasca estagia parcialmente em carvalho. É um vinho muito equilibrado, com aromas limpos e intensos preservando muito a fruta vermelha e da fruta preta. Também tem um leve toque de especiarias e mentolado, com bom volume de boca e de uma complexidade única, características que tornando esse rótulo extremamente elegante", detalha Bebber, que foi eleito Personalidade do Ano pelo capítulo gaúcho da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS-RS) em 2019.

Rodrigo confidencia que serão comercializados inicialmente 1 mil garrafas do Tannat Chico Tasca, cujo preço de venda deve girar entre R$ 80 e R$ 90. Porém, a linha deve contar com novidades futuramente. "Desejo ter ao menos dez rótulos e já temos contatos adiantados para colocarmos no portfólio espumantes, brancos e rosés", antecipa Rodrigo. Ele também sugere que o Tannat Chico Tasca seja degustado com um dos ícones do cardápio do Barranco. "Na minha opinião vale pedir o arroz com cebola, acompanhado pela costela – a melhor do mundo – com certeza aquela escolhida pelo Elson ou pelo Elson Júnior! E, claro, uma farofinha em homenagem ao Chico", diz, sorrindo, lembrando do pai. "Desejo ver o rosto dele aonde for para amenizar a saudade que ele deixou aqui. Saudade do sorriso, do abraço, enfim, coisa de filho que tem no pai um amigo", emociona-se. Sem dúvidas, o Tannat Chico Tasca será apenas o primeiro de uma variedade de vinhos que todos teremos o privilégio de poder brindar ao profissional que ajudou a conceber a gastronomia do Sul brasileiro.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 26 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/