WhatsApp: uso em vendas movimenta mercado de tecnologia

Presente em quase 100% dos smartphones, aplicativo é oportunidade para negócios — e tem gerado operações de aquisição para ampliar soluções às empresas
Segundo a Meta, 13 milhões de brasileiros acessam catálogos de empresas pelo WhatsApp

Queridinho dos brasileiros, o WhatsApp é o aplicativo de comunicação mais utilizado pela população do país. Segundo pesquisa do Datafolha, 92% possuem conta no serviço, enquanto o principal concorrente, Telegram, tem está em apenas 24% dos smartphones. O aplicativo da Meta, dona também do Facebook e Instagram, chega a quase 100% dependendo do grupo social: alcança 98% entre os que possuem ensino superior, número que se repete entre as pessoas de 25 a 34 anos. Dados que também são oportunidades para as empresas — e não por acaso o serviço é bastante usado por negócios de todos os tamanhos.

Segundo a Meta, 13 milhões de brasileiros acessam catálogos de empresas pelo WhatsApp, enquanto o número de negócios que utilizam a API (ou seja, se conectam ao sistema do app) do aplicativo mais que dobrou no período da pandemia. O mesmo estudo mostra que 70% dos usuários trocam mensagens comerciais ao menos uma vez por semana, enquanto 75% poderiam fazer transações com empreendimentos que usam o serviço.

Relacionamento com clientes
Para as empresas, além do uso do WhatsApp Business, versão própria do app para negócios, é preciso investir em ferramentas que auxiliem na boa gestão do aplicativo, fortalecendo o relacionamento com os clientes, bem como processos de captação e vendas. Para competir nesse ambiente, companhias de tecnologia estão investindo em aquisições para ampliar a oferta de serviços e produtos que contemplem o WhatsApp. É o caso da PipeRun, especializada em CRM (gestão de relacionamento com o cliente). Em outubro de 2022, a empresa fez sua primeira aquisição, passando a operar também com o CRM de atendimento, completando o uso do canal do WhatsApp em seus produtos.

Para Fausto Reichert, CRO da PipeRun, essa união trouxe novos perfis de clientes, que passou a atender além das empresas de serviços e vendas recorrentes, empresas dos setores de indústria e varejo. "Isso já representa perto de 15% dos R$ 12 milhões de Faturamento Recorrente Anual (ARR) da empresa", complementa. Os lançamentos feitos pela empresa, seja na mudança da infraestrutura para a Oracle Cloud, ou na busca da homologação como integrador da API Oficial da Meta, quanto as novas funcionalidades como disparos de mensagens pré-aprovadas pelo WhatsApp (HSM) durante o todo processo do funil de vendas, propostas, contratos ou mesmo no CS em pós-vendas, vem apoiando o crescimento da empresa que pretende dobrar de tamanho em 2023.

Para continuar crescendo nos patamares dos últimos anos, dobrando a cada ano, a empresa abriu as primeiras das 25 vagas que irão levar a empresa ao total de 100 colaboradores que a empresa pretende empregar diretamente até o final de 2023. Segundo Osvaldo Gehm, CTO da PipeRun, o roadmap de produto vem tendo "entregas relevantes a cada mês". "São melhorias contínuas em uma velocidade que dificulta até a nossa carteira de clientes aderir, mas novas empresas chegam com suas necessidades atendidas. Isso trará um contexto amplo de crescimento via novos clientes como também pela expansão dos atuais que podem aderir aos novos produtos e serviços", conclui.

Veja mais notícias sobre GestãoTecnologia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 14 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/