Paraná vai qualificar 3 mil jovens em TI

No total, serão 1.500 bolsas para alunos e egressos do ensino médio e outras 1.500 bolsas para alunos do ensino superior
A ideia é que sejam formados 60 alunos por município ao final dos três anos do projeto

Em encontro realizado na sede da Celepar, em Curitiba, foi realizada uma apresentação da ideia para os 50 municípios que devem aderir ao projeto Talento Tech, liderado pelo governo paranaense. Essa será a maior iniciativa de qualificação profissional voltada para o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do país. Com investimento de R$ 62 milhões, o Talento Tech vai qualificar 3 mil alunos com cursos gratuitos e bolsas remuneradas em TIC. O projeto é coordenado em conjunto pelas secretarias da Inovação, Modernização e Transformação Digital, do Planejamento, da Educação, de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fundação Araucária e Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

No total, serão 1.500 bolsas para alunos e egressos do ensino médio e outras 1.500 bolsas para alunos do ensino superior que estudam nas universidades estaduais do Paraná. A ideia é formar 1.000 alunos por ano, sendo 500 de cada categoria, totalizando as 3 mil qualificações. O critério para escolha dos 50 municípios participantes levou em consideração o Índice Ipardes de Desempenho Municipal (IPDM). Ele mede o desempenho dos 399 municípios considerando três dimensões: renda, emprego e produção agropecuária, saúde e educação. As cidades selecionadas têm os menores IPDMs do Paraná.

Os municípios e os critérios serão oficializados no lançamento do edital, previsto para abril. A ideia é que sejam formados 60 alunos por município ao final dos três anos do projeto. O objetivo é que os futuros profissionais atuem em suas cidades após a conclusão do projeto, contribuindo para o desenvolvimento econômico e a geração de valor na estrutura produtiva local. O secretário do planejamento, Guto Silva, disse que o objetivo do projeto é transformar o Paraná em um celeiro de talentos no setor de tecnologia, complementando as aulas de programação da rede estadual e oferta de cursos regulares nas universidades estaduais. "O jovem vai ganhar um salário para estudar, ganhar um notebook para poder concluir o curso e depois vai precisar ficar no município para que a cidade também ganhe. Nós queremos esses talentos vivendo no Paraná", afirma.

O secretário da Inovação, Marcelo Rangel, afirma que o projeto é pioneiro no Brasil, com um investimento de R$ 42 milhões destinado somente para bolsas. Ele explica que o objetivo é formar parcerias com as Big Techs do setor de tecnologia para que o aluno saia do curso empregado. "O Paraná é o estado que mais atrai empresas da área de tecnologia, mas também temos que ter qualificação. Temos que ter profissionais preparados para assumir posições de destaque nestas grandes empresas", explica.

Os cursos terão duração de 10 meses, período em que os alunos terão direito a uma bolsa remunerada para dedicação à formação na área. Elas terão valor R$ 1.350 para alunos e ex-alunos do ensino médio e R$ 1.500 para alunos que estejam cursando o ensino superior na rede pública de ensino. Além disso, cada aluno receberá um notebook durante o aprendizado. Os critérios de seleção serão determinados pelo edital, que será publicado pelo Núcleo de Tecnologia e Educação Aberta e a Distância (Nutead) da UEPG. As aulas serão híbridas, com parte do curso em EAD e aulas presenciais quinzenais. A UEPG será a responsável pela estruturação dos cursos, assim como organização com as demais universidades no auxílio para aplicação das aulas em cada região.

Cada curso terá a duração de 800 horas, divididas em três módulos, sendo dois iniciais de 360 horas e um final de 80 horas, dedicado para o projeto integrador com empresas parceiras. O Talento Tech tem o objetivo de explorar as habilidades de formação em TIC, além de conteúdos de soft skills, fundamentos da computação, inglês técnico, engenharia de software e o desenvolvimento de uma aplicação prática ao final dessas formações. Os cursos serão ministrados por professores das instituições de Ensino Superior e por profissionais indicados pelas empresas de tecnologia parceiras. Cada município terá um apoio presencial à docência e cada turma terá um apoio online à docência como forma de acompanhar o desempenho.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 22 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/