Sidebar Menu

Governo promete digitalizar serviços públicos até 2022

Paulo Uebel, secretário especial de desburocratização, gestão e governo digital, projetou cenário na terceira edição do XTalk
No ano passado, com a digitalização de sistemas da Previdência Social, 90% das solicitações passaram a ser feitas pela internet — antes, o índice era de 10%

De acordo com dados da União, nos últimos dois anos, os brasileiros economizaram 147 milhões de horas com a digitalização de serviços públicos federais. Os números expressivos mostram a relevância da transformação digital, que torna mais eficiente o uso dos recursos e facilita a vida das pessoas. Os avanços e desafios na implementação dessas práticas estiveram em debate no terceiro XTalk da BriviaDez, transmitido na terça-feira (7).

O evento contou com a participação de Paulo Uebel, secretário especial de desburocratização, gestão e governo digital do Ministério da Economia, que conversou com o Marcio Coelho, CEO da BriviaDez, e Eliel Allebrandt, managing director e key account director da agência. Uebel destacou que o indivíduo é a "razão de ser do Estado" – e, por isso, todas as ações implementadas devem ser pensadas em gerar valor para a sociedade. "Muitas vezes, o cidadão ficava em último lugar nas políticas públicas. Nosso papel é integrar, fazer com que todos olhem para o mesmo norte e que as ações possam se conversar", destacou o secretário, que elencou os seis pilares de atuação da pasta: foco no cidadão, integração, inteligência, confiança, transparência e eficiência.

Durante a transmissão, Uebel relatou algumas ações que já foram realizadas pela secretaria desde o último ano. Todos os sites da administração federal estão sendo unificadosem um portal, o Gov.br, onde o brasileiro pode ter acesso a diversos serviços a partir de um mesmo login. No ano passado, com a digitalização de sistemas da Previdência Social, 90% das solicitações passaram a ser feitas pela internet — antes, o índice era de 10%.

"Até 2022, todos os serviços públicos serão digitais", prometeu Uebel, detalhando que o governo ainda implementará a Carteira de Identidade Nacional, até o final de 2020, e do pagamento on-line de custos federais, eliminando a necessidade de boleto. "O trabalho do servidor fica muito mais fácil, e conseguimos prover serviços melhores às pessoas e a um custo mais baixo", destacou.

Coelho ressaltou que a percepção da eficiência traz um engajamento do cidadão com os serviços públicos. "É brutal o ganho em muitos aspectos. Chega a ser emocionante ver esses avanços, principalmente para quem vive essa transformação na iniciativa privada", afirmou o executivo. Para Allebrandt, esse processo muda um paradigma sobre o poder público. "Temos um estereótipo de que quando a coisa é do governo, ela não funciona. E com essas mudanças, a situação se altera. Os processos se tornam mais leves, rápidos e transparentes", enfatizou.

O secretário revelou ainda que a transformação digital gera uma economia em torno de R$ 2 bilhões, que podem ser investidos em áreas essenciais. "E você devolve ainda milhões de horas para as pessoas . O trabalho de desburocratização traz muito valor para a sociedade", concluiu Uebel.

Veja mais notícias sobre GestãoTecnologia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 05 Mai 2021

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection