Marcopolo tem receita líquida consolidada de R$ 1,4 bilhão no segundo trimestre

Crescimento das vendas de ônibus rodoviários contribuem com desempenho da companhia entre abril e junho
No período, o segmento de maior representatividade para a empresa sediada em Caxias do Sul (RS) foi o de ônibus rodoviários

A Marcopolo registrou receita líquida consolidada de R$ 1,4 bilhão no segundo trimestre de 2023, crescimento de 18,5% em relação ao igual intervalo do ano passado. Desse total, R$ 721,8 milhões são provenientes do mercado interno, R$ 246,9 milhões das exportações a partir do Brasil e R$ 395,8 milhões das operações internacionais da companhia. No período, o segmento de maior representatividade para a empresa sediada em Caxias do Sul (RS) foi o de ônibus rodoviários, com o sucesso de vendas do G8, resultando em entregas de veículos de maior valor agregado. A estratégia rendeu uma receita líquida total consolidada de rodoviários de R$ 530,9 milhões, contra R$ 331,8 milhões no mesmo período de 2022.

"Para fortalecermos a nossa atuação no segmento de rodoviários, investimos em soluções cada vez mais completas e com tecnologias de ponta, pensadas no conforto e segurança dos passageiros. A estratégia rendeu um acréscimo do volume de vendas de produtos com maior valor agregado", pontua André Armaganijan, CEO da Marcopolo. Com o cenário, a companhia teve um lucro líquido consolidado de R$ 140,5 milhões, com margem de 10,3%, contra R$ 26,8 milhões e margem de 2,3% no segundo trimestre de 2022. Além do fortalecimento no segmento de rodoviários, a companhia aposta em seu modelo de urbano elétrico, o Attivi, com carroceria e chassi da marca. O modelo está em homologação, com programação para a produção do segundo lote de 100 unidades, além das 30 já produzidas.

O segundo trimestre também t marcou o início da transição da motorização Euro 5 para Euro 6. Com isso, a produção consolidada da Marcopolo foi 3.010 unidades entre abril e junho, sendo 2.459 unidades feitas no Brasil, 12,6% inferior à do segundo trimestre de 2022. No exterior, a produção foi de 551 unidades, 5,5% inferior às unidades produzidas no mesmo período do ano anterior. Neste período, a participação de mercado da Marcopolo na produção brasileira de carrocerias foi de 44,5%. "Após os primeiros meses da transição da motorização, já observamos uma normalização do mercado brasileiro de ônibus. Temos programado grandes pacotes de vendas para o segundo semestre deste ano e o primeiro trimestre de 2024, com foco nas viagens de final de ano e férias escolares", avalia Armaganijan.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 13 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/