Sidebar Menu

Locaweb compra startup gaúcha Bling por R$ 524 milhões

Empresa foi investida pelo Badesul, por meio do Fundo Criatec 2
O Bling é um sistema de gestão empresarial integrado para micro e pequenas empresas, podendo ser acessado de qualquer lugar

A Locaweb comprou por R$ 524,3 milhões a startup Bling, do município de Bento Gonçalves. A Bling foi investida pelo Badesul, por meio do Fundo Criatec 2, liderado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e gerido pela Crescera. O Bling, fundado em 2009, é um sistema de gestão empresarial integrado (ERP) para micro e pequenas empresas, oferecido na nuvem, podendo ser acessado de qualquer lugar.

Pela plataforma, é possível controlar a emissão de nota fiscal (NFe, NFSe e NFCe) com os impostos calculados automaticamente, gestão de finanças, estoques e integração com uma série de outras plataformas e sistemas, como marketplaces e logística, de forma fácil e rápida. Desde 2020, os clientes da empresa têm acesso a uma conta digital integrada ao ERP. Para os próximos meses, a empresa pretende adicionar mais serviços a esse pacote, como Pix, adquirência e antecipação de recebíveis. A empresa, faturou cerca de R$ 36 milhões em 2020, tem mais de 20 mil clientes, com presença em todo o Brasil.

A Locaweb é uma plataforma brasileira de hospedagem e computação na nuvem que congrega uma série de serviços. Abriu capital na Bolsa de Valores (B3) em fevereiro de 2020 tendo levantado R$ 1 bilhão na ocasião e sendo considerado o IPO mais bem sucedido da América Latina em 2020.

Desde 2011, o Badesul, agência de fomento do Rio Grande do Sul, investiu em quatro fundos (CRP Empreendedor, Criatec 2, Criatec 3 e FIP Anjo) e acertou a vinda do quinto, o Criatec 4, para o final de 2021. Até hoje, somados, o Badesul aportou cerca de R$ 19,6 milhões nestes fundos que reverteram em R$ 32,4 milhões para as startups gaúchas. Das 14 investidas pelo Badesul via FIPs e crowdfunding, uma foi a write-off, três foram desinvestidas com sucesso (Yller, Ezcommerce e agora Bling) e dez continuam em carteira. Se considerado os FIPs nacionais, cerca de 10% das empresas investidas são gaúchas.

O FIP Criatec 2 havia desinvestido outras duas empresas gaúchas, a Ezcommerce em 2018, startup de Porto Alegre que desenvolve uma plataforma da marktplace, adquirida pela Linx, e a Yller, do município de Pelotas, em 2019, adquirida pela Straumann, líder mundial em tecnologia odontológica. Ambas continuam em atividade no Rio Grande do Sul. A estratégia tem se mostrado exitosa, visto que outros players do fomento gaúcho têm seguido os mesmos passos e ampliado os recursos para o Estado.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 05 Agosto 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection