Com campanha voltada aos inadimplentes, Banrisul dobra lucro no trimestre

Crescimento é referente ao trimestre anterior. O lucro também foi 21% superior ao do quarto trimestre de 2022
"Disponibilizaremos produtos e serviços personalizados", revelou Fernando Lemos

"O banco está numa situação bastante confortável", adiantou o presidente do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul), Fernando Lemos, durante coletiva de apresentação dos resultados do quarto trimestre de 2023, realizada nesta sexta-feira (9). O Banrisul alcançou lucro líquido de R$ 304 milhões no período, um crescimento de 138,6% frente ao trimestre anterior e de 21% frente ao quarto trimestre de 2022. Ao todo, no ano passado, o lucro líquido da companhia foi de R$ 871,1 milhões, alta de 11,5% frente ao resultado ajustado do ano de 2022. Segundo Lemos, o desempenho no ano reflete, especialmente, o crescimento da margem financeira e uma força-tarefa realizada pelo banco para garantir o pagamento das carteiras inadimplentes. "Foram mais de R$ 105 milhões em espécie de cobranças [de inadimplentes] efetivadas, o que ajudou muito no resultado", revela.

O presidente salienta que, nos próximos anos, o banco irá apostar fortemente na inovação, com investimentos em big data, machine learning e inteligência artificial para antecipar e atender às demandas do mercado. "Disponibilizaremos produtos e serviços personalizados, avançaremos na formação de parcerias estratégicas e ampliaremos a nossa oferta de crédito, além de combinar o atendimento físico e digital para proporcionar respostas rápidas e eficazes, com foco em refinar a experiência do cliente", antecipa. Em 2023, o banco investiu R$ 372,7 milhões em modernização tecnológica, contemplando os investimentos em TI e atendimento ao cliente, reformas e ampliações.

Mesmo em meio a inovações, o Banrisul mantém o direcionamento voltado para a ampliação da carteira de crédito com operações de menor risco, priorizando o estreitamento do relacionamento comercial com seus clientes, bem como a revisão da jornada a fim de garantir melhor experiência. A carteira de crédito avançou 9,3% no ano, para R$ 53,7 bilhões em dezembro de 2023, crescimento de R$ 4,5 bilhões frente a dezembro de 2022, influenciado, especialmente, pelo crescimento dos créditos rural, imobiliário e comercial.

O agronegócio segue relevante para a instituição, que oferece linhas de crédito com recursos próprios, repasses de linhas do BNDES e recursos equalizados pelo Tesouro Nacional aos pequenos e médios produtores do estado. Em dezembro de 2023, a carteira de crédito rural alcançou saldo de R$ 11,3 bilhões, com incremento de 44,2% em 12 meses. O crédito imobiliário, que registrou aumento de 16% em 2023 na comparação com o mesmo período de 2022, também segue como uma carteira estratégica para o Banco, tanto para a fidelização de clientes quanto pelo seu papel relevante no processo de desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 23 Fevereiro 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/