CGT Eletrosul capta R$ 400 milhões com emissão de debêntures

Primeira emissão de títulos verdes de linhas de transmissão alcança R$ 185 milhões
Nove projetos de transmissão da CGT Eletrosul beneficiados com recursos captados pela emissão de títulos verdes

GT Eletrosul concluiu a emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, que totalizaram R$ 400 milhões. A operação foi realizada em duas séries, sendo a primeira de R$ 185 milhões, com vencimento em 2029, e a segunda, de R$ 215 milhões, com vencimento em 2024.

Com valor de R$ 185 milhões, a CGT Eletrosul emitiu o primeiro título verde (green bond) das empresas Eletrobras. A captação ocorreu por meio de debêntures incentivadas de infraestrutura, com o objetivo de alavancar os projetos de investimento em reforços relacionados aos contratos de concessão de transmissão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), enquadrados como prioritários pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

No total, serão nove projetos de transmissão da CGT Eletrosul beneficiados com recursos captados pela emissão de títulos verdes. E incluem reforços no sistema eletroenergético, com a ampliação de subestações, expansão de linhas de transmissão, implantação de novas estruturas, além da substituição de mais de 100 equipamentos de pátio. Essas ações envolvem ativos da empresa no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.

Já a segunda série de debêntures, no valor de R$ 215 milhões, é destinada ao reforço de caixa, possibilitando a quitação de dívidas mais custosas, assim como fazer frente aos novos desafios de expansão do parque gerador da companhia.

Títulos verdes
A Eletrobras já possui, desde 2020, a Certificação Internacional Verde emitida pelo CBI (Climate Bonds Initiative) e Selo Verde obtido através da Segunda Opinião (SPO) expedida pela Vigeo Eiris para projetos de transmissão e geração eólica e solar. Para as etapas prévias a esta emissão, a Eletrobras contou com assistência técnica e financeira do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), responsável pelo apoio de cerca de 30% dos títulos temáticos emitidos na América Latina e Caribe.

O BID assistiu a Eletrobras em itens como a melhoria do rating ESG (avaliação da adesão da empresa a critérios ambientais, sociais e de governança), a obtenção do Selo Verde, além de preparação e atualização do marco de emissão dos títulos (framework) e do documento de Segunda Opinião (SPO), tendo contratado a Sitawi Finanças do Bem para assessorar nesse processo.

O tema está associado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) do Pacto Global da ONU, especialmente o ODS 7 – Energia Acessível e Limpa, e o ODS 13 – Ação Contra a Mudança Global do Clima.

Quer saber mais sobre sustentabilidade?
Receba diariamente a newsletter do Grupo AMANHÃ. Faça seu cadastro aqui e, ainda, acesse o acervo de publicações do Grupo AMANHÃ.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 21 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/