Uma geração que experimenta os desafios e os prazeres das startups

Se você pensa em se enveredar por esses caminhos, vá em frente, pois o mercado é bem promissor
Percebo que muitos profissionais executivos têm trocado grandes empresas por negócios que eles mesmos criaram

Conversando com amigos, alguns me dizem que estou vivendo uma fase saudosista. Digo que não, que apenas sou um eterno entusiasta sobre gestão de pessoas e mercado de trabalho. Esse papo sempre ocorre quando comento que já estou há mais de 40 anos na atividade de gestão e que de lá para cá vi muita, mas muita coisa mudar na forma de gerir empresas.

Hoje, o que me fascina é ver o advento das startups, que são empresas em fase inicial que têm uma proposta de negócio inovadora a qual representa, uma grande possibilidade de crescimento no mercado independentemente da área. A meu ver elas representam o grau de maturidade do profissional humano. Ele chega a esse potencial, sem necessariamente depender diretamente de uma grande empresa ou marca para ter sua carreira consolidada. O movimento hoje é estar junto a grandes empresas e não necessariamente atuar no corpo colaborativo de uma companhia. Isso representa uma diferença enorme.

E esse movimento está acelerando, percebo que muitos profissionais executivos têm trocado grandes empresas por negócios que eles mesmos criaram ou para aderir a uma ideia ou projeto recém-criado.

Muitas vezes isso está atrelado a uma satisfação pessoal, bem como ao próprio crescimento na carreira. E aqui entra uma palavra que já citei por inúmeras vezes em minhas colunas: empreendedorismo. Sim, quem abre uma empresa deste porte tem uma tendência a ser empreendedor. Não por necessidade, mas por vontade e oportunidade, ousadia, coragem. Isso move quem está por trás das ideias bem-sucedidas em startups.

Se você pensa em se enveredar por esses caminhos, vá em frente, pois o mercado é bem promissor. Antes, porém, responda as seguintes perguntas a você mesmo: Você tem uma ideia considerada inovadora? Essa ideia é passível de se colocar em um protótipo? Essa sua ideia é passível de validação do mercado para possíveis ajustes? Tem um 'Q' de inovação tecnológica e é considerado algo diferente no mercado? Se você disse sim para a maioria das questões anteriores e tem a intenção de entrar no mundo das startups, vá em frente, pois já é meio caminho andado. Torço por você e pelo seu projeto!

Veja mais notícias sobre EmpreendedorismoCarreiraRecursos Humanos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 26 Fevereiro 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/