Paraná prorroga restrição a serviços não essenciais até quarta-feira

As medidas foram tomadas por causa do aumento expressivo do número de casos de Covid-19
A ocupação de UTI para adultos, pela rede pública de saúde, chegou ao índice de 96%

O governo prorrogou as medidas restritivas para tentar conter o avanço da pandemia do coronavírus no Paraná. O novo decreto vale até 5h da próxima quarta-feira (10). Depois dessa data, as aulas em modelo híbrido e atividades não essenciais, como o comércio, voltam a ser liberadas, com restrições. As aulas nos colégios públicos devem retornar no dia 15 de março. O decreto anterior, publicado na sexta-feira (26), tinha validade até segunda-feira (8).

Com isso, fica prorrogado o toque de recolher das 20h às 5h, o fechamento das atividades não essenciais e a suspensão das aulas presenciais no Paraná. Também permanece vedada a venda de bebidas alcoólicas no horário do toque de recolher. As medidas foram tomadas por causa do aumento expressivo do número de casos de Covid-19 e em razão da alta taxa de ocupação de leitos nos hospitais de todo o estado. Nesta sexta-feira, a ocupação de UTI para adultos, pela rede pública de saúde, chegou ao índice de 96%. De acordo com dados da pasta da saúde, o estado tem 858 pessoas esperando leito de UTI ou enfermaria.

"A explosão de casos que aconteceu a partir de 10 de fevereiro ocorreu, pelo que tudo indica, por causa da variante P1, de Manaus. Como o contágio agudo se dá entre cinco e oito semanas, fatalmente uma semana antes de 10 de fevereiro, o vírus já estava no Paraná", informou Beto Preto, secretário de saúde do Estado. O índice de isolamento social no Paraná girou em torno de até 35%, quando o ideal seria pelo menos entre 50% e 60%.

Linhas de crédito
Criada no ano passado, linha Recupera Paraná será reativada, com juros subsidiados, e vai destinar R$ 10 milhões para atender empreendedores informais e Microempreendedores Individuais (MEIs). Além disso, os empreendedores que pegaram empréstimos por essa linha no ano passado terão o pagamento das parcelas suspenso por dois meses, para aliviar o fluxo de caixa das empresas. A medida pretende beneficiar cerca de 40 mil pessoas.

O BRDE também repassará R$ 30 milhões, com juros subsidiados, para ampliar a disponibilidade de crédito dos programas Banco da Mulher Paranaense e Banco do Empreendedor, da Fomento Paraná. "Esse valor é para atender, em especial, o micro e o pequeno comerciante", afirmou o governador Ratinho Junior.

O setor turístico também será atendido pelos mecanismos de crédito do governo paranaense. O BRDE e a Fomento Paraná vão destinar R$ 120 milhões para empréstimos subsidiados, voltado para o capital de giro de empreendimentos que trabalham com o turismo, beneficiando o setor hoteleiro e o de serviços.

Veja mais notícias sobre CoronavírusParanáSaúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 26 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/