Equilíbrio é essencial no mundo contemporâneo

As pessoas têm se queixado de que o trabalho a distância leva a uma rotina mais elástica
Cabe a quem está em casa definir uma rotina diária, separando ao máximo o trabalho e as demandas pessoais

Um estudo recente divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que trabalhar mais de 55 horas por semana pode ser algo perigoso e até levar profissionais à morte. O levantamento vem ao encontro daquilo que sabemos na prática: corpo e mente não são de ferro. Exceder oito ou nove horas diárias no trabalho pode ser o estopim para uma vida pouco saudável. Entretanto, nos últimos tempos, com o advento da pandemia, as pessoas têm se queixado de que o trabalho a distância leva a uma rotina mais elástica. Dados estatísticos do Reino Unido apontam, por exemplo, uma média de 6 horas extras por semana trabalhadas pelos profissionais britânicos em home office no último ano.

Esses estudos e pesquisas acendem um sinal amarelo para o mercado: é hora de voltar a olhar para a essencialidade do equilíbrio entre as atividades profissionais e pessoais. Um dos pontos a ser levado em consideração nesse contexto deve partir do próprio colaborador: cabe a quem está em casa definir uma rotina diária, separando ao máximo o trabalho e as demandas pessoais. Com isso, precisa equilibrar um e outro, destinando as horas exatas para o trabalho e os projetos que deve entregar. Se precisou se ausentar das atividades para atender a uma demanda pessoal, logo é necessário repor. Não é porque foi realizado no "horário de trabalho" que isso foi incorporado à rotina profissional. Logo, se teve de trabalhar até mais tarde neste dia, não se trata de horas a mais, mas sim de horas a serem repostas.

Outro ponto é que a liderança precisa se policiar para não demandar a equipe fora do horário de trabalho pactuado. Se as atividades não estão sendo realizadas a contento ou dentro de uma expectativa de produtividade esperada, repense a rotina, pois o problema está na quantidade ou na forma de execução. Sobrecarregar a equipe só vai trazer problemas. Além disso, temos de aprender a separar a rotina de trabalho daquilo que é urgente e pontual.

Existem momentos em que o funcionário será acionado fora do horário. Nestes casos excepcionais e urgentes, deve-se atender, por uma questão de parceria e ajuda mútua da equipe. Contudo, é preciso ter maturidade para entender essa diferença. Isso também vale para a liderança que deve somente acionar colaboradores nesses casos quando o assunto realmente não puder esperar. O equilíbrio é essencial no mundo contemporâneo.

Veja mais notícias sobre CarreiraRecursos Humanos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 28 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection