Instituto Senai de Inovação será centro de competência em agricultura digital

ISI foi escolhido pela Embrapii e terá recursos do Ministério de Ciência e Tecnologia
O Instituto e outras duas instituições receberão, ao todo, R$ 178 milhões em investimentos

O Instituto Senai de Inovação (ISI) em Sistemas de Sensoriamento, do Rio Grande do Sul, foi escolhido pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) como centro de competência para desenvolver tecnologias de agricultura digital. O Instituto e outras duas instituições receberão, ao todo, R$ 178 milhões em investimentos. Os recursos virão do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI), pelo PPI HardwareBR. "A transformação digital está inserida na política de reindustrialização em novas bases tecnológicas do governo federal, e a implantação dos Centros de Competência é estratégica para o Brasil enfrentar esse desafio. Ao articular ações voltadas ao fortalecimento de competências em tecnologias disruptivas, geramos conhecimento para projetar a indústria do futuro", afirmou a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, durante o anúncio dos centros.

"Os centros de competência darão contribuições relevantes para a expansão da capacidade tecnológica de fronteira para tornar nossa indústria mais competitiva. Adicionalmente, os centros irão ajudar a enfrentar os desafios de um país tão desigual e com um potencial imenso", disse Chico Saboya, presidente da Embrapii. O gerente de inovação e tecnologia do Senai-RS, Victor Gomes, destacou que a atuação do ISI como Centro de Competência em Hardware para Agricultura Digital permitirá ao Brasil ser também um dos proponentes de soluções tecnológicas inovadoras, em hardware e software. "Ao nos posicionarmos como desenvolvedores de novas tecnologias, poderemos minimizar nossa dependência de importação tecnológica e, sobretudo, influenciar os padrões normativos internacionais do setor".

Além do Instituto Senai, foram selecionados o Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec), que fica localizado no Paraná e atuará na área de eletromobilidade e redes elétricas inteligentes. O Lactec receberá investimentos de até R$ 58 milhões. Na opinião do CEO do Lactec, Luiz Fernando Vianna, o credenciamento do Lactec vai ampliar e potencializar o trabalho que já é feito pela equipe de pesquisadores. "Trabalhamos há mais de 60 anos na produção de tecnologias inovadoras e soluções para os mais variados setores produtivos brasileiros. A seleção para atuar como Centro de Competência Embrapii nos permite avançar para atuar como polo de plataformas de hardware inteligentes e conectadas, gerando empregos qualificados e fomentando parcerias no Brasil e no exterior", analisa.

"O investimento realizado pelo MCTI é de suma importância para nossa região e para o país. Investir em produção de conhecimento e tecnologia é a melhor forma de desenvolver a cadeia produtiva e manter a competitividade global", conclui Vianna. Outro contemplado foi o Virtus (Núcleo de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Tecnologia da Informação, Comunicação e Automação) da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), na Paraíba, especializado em plataforma de sensoriamento inteligente para indústria com Inteligência Artificial e Internet das Coisas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 13 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/