Tesouro Direto: investimentos superaram resgates em R$ 1,7 bi em maio

Aplicações de até R$ 1 mil representaram 59,9% de todas as operações
Os títulos indexados à inflação corresponderam a 32,7% do total

Em maio deste ano, as vendas de títulos públicos federais por meio do Tesouro Direto atingiram R$ 3,9 bilhões. No mesmo mês, foram resgatados R$ 2,1 bilhões. Dessa forma, a emissão líquida, ou seja, o saldo entre papéis emitidos menos os títulos resgatados, foi de R$ 1,7 bilhão. Aplicações de até R$ 1 mil representaram 59,9% de todas as operações de investimento mensais, mas o valor médio por operação foi de R$ 6.510,26.

O grupo mais demandado pelos investidores foi o indexado à Selic (Tesouro Selic), cuja participação nas vendas atingiu 56,5%. Os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) corresponderam a 32,7% do total e os prefixados, a 10,9%. Entre os títulos resgatados, o equivalente a pouco mais de R$ 2 bilhões foi readquirido pelo Tesouro Nacional, pelos preços de mercado na data da transação, e o correspondente a cerca de R$ 92,4 milhões foi relativo à data de vencimento – pelos quais o investidor recebe o valor integral da rentabilidade definida no momento da compra.

De acordo com o balanço do Tesouro Nacional, em maio foram realizadas 600,1 mil operações de investimento em títulos do Tesouro Direto. Além disso, o total de investidores com algum saldo em aplicações no programa de vendas de títulos públicos federais atingiu a marca de 1,9 milhão de pessoas, enquanto o total de cadastros cresceu com a entrada de mais 561 mil pessoas, atingindo 18,95milhões de investidores, número 72,3% superior ao de maio de 2021.

Com Agência Brasil

Veja mais notícias sobre Bolso & BolsaEconomia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 10 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/