Sidebar Menu

Fapesc divulga empresas aprovadas em edital de incentivo a soluções contra a Covid-19

Soluções para higienização de ambientes, equipamentos de proteção, insumos para testes de medicamentos e suporte para tratamento de pacientes receberão recursos
Biocelltis, de Florianópolis, foi uma das empresas vencedoras

, As empresas catarinenses também assumiram seu papel no combate à pandemia causada pelo novo coronavírus. Para reforçar essas ações, a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) destinou R$ 500 mil a produtos de uso imediato. Foram aprovadas cinco propostas que apresentam soluções para higienização de ambientes, equipamentos de proteção, insumos para testes de medicamentos e suporte para tratamento de pacientes. O resultado final da chamada pública 07/2020 foi divulgado no site da fundação na quarta-feira (17).

Foram submetidas 46 propostas de diferentes setores produtivos. As soluções aprovadas contemplam a saúde e a higienização de ambientes. Uma delas está relacionada à proteção social, que é a empresa de Florianópolis Incentiv - Impacto Social & Incentivos Fiscais. A companhia desenvolveu o "Monitore-SC: CovidZero", ferramenta que disponibilizará uma lista de projetos sociais que podem receber doações. Os interessados em contribuir poderão acompanhar em tempo real a captação de recursos e o uso do dinheiro, dando maior transparência aos resultados. A ação receberá fomento de quase R$ 81 mil da Fapesc.

Em seguida, vem o equipamento de proteção criado pela DBM Engenharia e Desenvolvimento Científico, de Joinville. A empresa produziu um filtro polimérico (em formato de cilindro) com partículas de nanoprata, que fazem barreira extra contra o novo coronavírus. Esse recurso pode ser inserido nas máscaras dos profissionais da saúde, aumentando a proteção durante a pandemia. Para essa melhoria, a fundação destinou quase R$ 99 mil à empresa.

Já a Brava Biosciences, de Florianópolis, criou um sistema para proteção, suporte e monitoramento de pessoas com Covid-19 em estado grave. O IDCOS (Infectious Disease Containement and Support System) é destinado a hospitais para gerenciamento de todas as informações, desde a dispersão das partículas virais no ambiente até a quantidade e a qualidade de oxigênio necessárias aos pacientes. O software também envia os dados vitais para um servidor para que médicos e enfermeiros possam acessar remotamente. A ferramenta contará com R$ 95 mil aprovados em edital.

Na linha de equipamentos, a empresa Cecbra, de Jaraguá do Sul, vai começar a testar, junto à equipe do Laboratório de Virologia Aplicada da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), um protótipo que usa radiação ultravioleta para higienizar ambientes. O sistema será capaz de emitir automaticamente luz com vapor de cloreto de benzalcônio (produto para esterilização de baixo custo) para desinfetar hospitais e ambulâncias de forma rápida e eficiente contra o novo coronavírus. Assim, profissionais da saúde e a equipe de limpeza estarão mais protegidos. A Fapesc destinou quase R$ 90 mil para o projeto.

A Biocelltis, de Florianópolis, especializada na produção de pele humana in vitro, receberá R$ 95 mil para desenvolver tecido pulmonar em 3D. O material servirá para testes contra a Covid-19, dispensando estudos diretamente em humanos nas fases iniciais de análise de novos medicamentos. A empresa também foi uma das vencedoras do último Prêmio Inovação Catarinense, realizado pela Fapesc.

Veja mais notícias sobre Santa CatarinaSaúdeTecnologia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 29 Setembro 2020

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection