Sidebar Menu

De volta, mas nem tanto

O mundo corporativo que você viveu até meados do último mês de março ainda não está disponível
Para essa retomada, empresas e funcionários deverão tomar medidas de segurança em uma contribuição mútua

Entramos no último quadrimestre de 2020 e muitas dúvidas sobre a questão do coronavírus ainda existem. Muitos profissionais com quem converso têm me perguntado: "Bernt, é hora de voltar?" Minha resposta é:"Se você analisar o contágio ainda existente, a resposta é não."

Afinal, não existe, ainda, uma queda significativa em algum lugar do Brasil, com raríssimas exceções. Agora, se a ideia é voltar utilizando de todas as medidas de segurança, grande parte das atividades econômicas já têm esse aval. Para essa retomada, empresas e funcionários deverão tomar medidas de segurança em uma contribuição mútua.

Vai ser inevitável, por exemplo, as empresas prepararem um novo material ou novas ações de boas-vindas ou integração para quem chega. Ou seja, todos os protocolos implantados na companhia deverão ser apresentados ao colaborador de maneira simples e enérgica. A responsabilidade para com o outro e a autorresponsabilidade precisam ser exaustivamente trabalhadas no dia a dia, o que inclui, ainda, a criação de uma nova política interna. Empresas ainda terão que tomar uma série de medidas como disponibilização de kits de higiene, fazer distanciamento físico entre equipes, repensar o espaço do café, dos banheiros, do transporte do funcionário e da higienização dos espaços.

Por fim, colaboradores, a responsabilidade é de todos. É preciso seguir as regras e agregar quando necessário, para que a volta possa ser menos tensa possível. Porém, uma coisa é certa: esqueça as reuniões em mesas de refeitório, o bate papo no café, o happy hour de final de dia, os eventos e viagens corporativas. O mundo que você viveu até meados do último mês de março ainda não está disponível. Talvez ele possa não estar mais. Devemos construí-lo de outra forma e, a partir de agora, começar a valorizar as nossas relações e a importância do outro. Algo que perdemos lá atrás por negligência nossa, e que, agora, vemos o quanto é essencial em nossas vidas.

Veja mais notícias sobre Recursos HumanosCoronavírus.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 24 Outubro 2020

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection