Governo do RS injeta até R$ 600 milhões em empreendimentos

Iniciativa oferece crédito para microempreendedores, microempresas e empresas de pequeno porte com juros subsidiados
O objetivo é fortalecer e incentivar os empreendimentos para a retomada do crescimento a partir da injeção de recursos com juro zero e redução da burocracia na contratação

Para impulsionar o desenvolvimento do Rio Grande do Sul, o governo gaúcho lançou nesta quinta-feira (20) o Avançar no Desenvolvimento Econômico – Programa Juro Zero. Com a iniciativa, serão disponibilizados R$ 100 milhões de recursos do Estado na forma de subsídio de juros em operações de crédito para microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte. O programa viabilizará que até R$ 600 milhões sejam financiados pelo Badesul Desenvolvimento S/A – Agência de Fomento e pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), com juros pagos pelo governo estadual.

O objetivo é fortalecer e incentivar os empreendimentos para a retomada do crescimento a partir da injeção de recursos com juro zero e redução da burocracia na contratação. A expectativa é de que até 23 mil operações possam ser realizadas, 20% delas destinadas preferencialmente aos microempreendedores individuais (MEI). O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Leite e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Edson Brum.

Ainda durante o evento, houve assinatura de protocolos de intenções e de contratos do Programa Estadual de Desenvolvimento Industrial (Proedi) e do Fundopem [Fundo Operação Empresa do Estado do Rio Grande do Sul (Fundopem), além do decreto que institui o programa Juro Zero.

Os limites por operação estão sujeitos a análise de crédito e garantias, conforme exigência das instituições financeiras. Uma parceria com o Sebrae permitiu o aporte de R$ 10 milhões ao RS Garanti – Associação Garantidora de Crédito, para permitir que empresas que não atendem aos critérios dos bancos acessem os recursos oferecendo carta-garantia. Com o aporte ao fundo garantidor, as empresas poderão contratar garantias de até R$ 80 milhões. Em caso de inadimplência, os juros das parcelas atrasadas serão de responsabilidade do tomador de crédito.

Empresários que aderirem ao programa Juro Zero também terão a oportunidade de receber consultoria e capacitações do Sebrae. A instituição oferecerá acompanhamento aos empreendimentos com conteúdo e informações estratégicas para a tomada de crédito consciente, com o objetivo de reduzir os riscos de inadimplência e ampliar a sustentabilidade financeira dos negócios.

O acesso ao programa estará disponível a partir de 1º de fevereiro, quando Badesul, BRDE e a rede credenciada começarão a receber as solicitações de operações. Para financiamentos junto ao Badesul, o empreendedor poderá solicitar diretamente ao banco. No caso do BRDE, o atendimento será realizado por meio das cooperativas de crédito conveniadas (Sicredi, Sicoop, Cresol), que irão cadastrar os pedidos, verificar a documentação necessária para a liberação das operações e orientar as empresas.

Veja mais notícias sobre Negócios do SulGestãoRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 23 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/