Engie investirá mais R$ 2,4 bilhões ao longo deste ano

Companhia sediada em Florianópolis registrou lucro líquido de R$ 645 milhões no primeiro trimestre
A Engie chegou ao final do primeiro trimestre com 8.440,9 MW de capacidade instalada

A Engie Brasil Energia registrou lucro líquido de R$ 645 milhões, valor 21,9% acima no comparativo com os primeiros três meses do ano anterior. Os indicadores foram positivamente impactados, principalmente, pelo aumento de 9,9% do preço médio líquido de venda de energia, maior quantidade de energia vendida, elevação do volume de compra de energia, menor custo com combustível e operacionais motivados pela venda do Complexo Termelétrico Jorge Lacerda e de maior remuneração dos ativos de construção de transmissão e dos ativos financeiros de concessão. A companhia chegou ao final do primeiro trimestre com 8.440,9 MW de capacidade instalada, operando um parque gerador de 10.161,6 MW, composto por usinas hidrelétricas, centrais a biomassa, PCHs, eólicas e solares –, além de uma termelétrica.

No período, as usinas operadas pela companhia atingiram índice de disponibilidade interna global de 93,5%, sendo 96,9% nas usinas hidrelétricas, 58,2% na termelétrica (UTE Pampa Sul) e 82,9% nas usinas de fontes complementares — PCHs, biomassas, eólicas e fotovoltaicas. O preço médio líquido de venda de energia atingiu R$ 225,35/MWh entre janeiro e março, 9,9% superior ao obtido no primeiro trimestre de 2021, cujo valor foi de R$ 205,13/MWh, elevação motivada principalmente pela atualização monetária dos contratos vigentes.

No primeiro trimestre de 2022, a companhia investiu R$ 1 bilhão e prevê ainda aportes de mais R$ 2,4 bilhões ao longo do ano. Com foco na aceleração da transição energética, a saída dos ativos a carvão continua nos objetivos da Engie ao longo de 2022, o que inclui a expectativa de concretização da venda da Usina Termelétrica Pampa Sul até o final deste ano.

Para continuar substituindo gradativamente a capacidade de geração térmica a carvão por fontes renováveis, a empresa concluiu em fevereiro a aquisição dos Conjuntos Fotovoltaicos Paracatu (MG) e Floresta (RN), ativos que pertenciam à Solaire Direct e totalizam 218 MW. Além disso, o conselho de administração da companhia aprovou, desde que atendidas determinadas condições precedentes, a aquisição do projeto eólico Serra do Assuruá, na Bahia, com 882 MW. A partir da confirmação da compra, passará a totalizar 3 GW na carteira de projetos em desenvolvimento.

O Grupo Engie também definiu que a empresa sediada em Florianópolis será o veículo para investimentos em hidrogênio verde no Brasil. Desta forma, alinhada à vanguarda global do setor, a companhia contará com uma estrutura interna dedicada ao tema. "O país é considerado altamente competitivo para o hidrogênio, em especial devido à abundância de recursos naturais e à ampla capacidade e potencial de crescimento em geração renovável", destaca Eduardo Sattamini, diretor-presidente e de relações com investidores da companhia.

Linhas de Transmissão
Este primeiro trimestre também registrou o avanço de 99,8% do Sistema de Transmissão Gralha Azul. Nove linhas de transmissão e três seccionamentos que compõem o empreendimento estão energizados, restando ainda a Linha de Transmissão Irati – Ponta Grossa e dois seccionamentos para a operação comercial integral do projeto que, devido a restrições regulatórias, deve ser concluída em março de 2023.

A antecipação em relação ao prazo previsto no contrato de concessão tem se materializado, os ativos em operação comercial, no final deste primeiro trimestre, estavam gerando 77% de RAP [sigla de Receita Anual Permitida, remuneração que as transmissoras recebem pela prestação do serviço público de transmissão aos usuários. O recebimento da RAP depende da disponibilidade das linhas e não do volume de energia transportado, o que torna a receita das transmissoras muito previsível].

Como evento subsequente, entraram em operação a Linha de Transmissão Guarapuava Oeste – Areia e o seccionamento Eletrosul na subestação Guarapuava, elevando o percentual de RAP registrada para 87%, em 3 de abril. "O adiantamento da operação comercial do projeto possibilita a solução de suprimento da energia de Itaipu para o estado do Paraná", diz Sattamini. "Para o segundo trimestre de 2022, há a expectativa de alcançar aproximadamente 95% das receitas totais previstas, com a entrada em operação de mais uma subestação e um seccionamento", complementa.

No fim de março, o avanço geral do projeto Novo Estado estava em 92,6%. As obras atingiram 93% das fundações das torres, 79% da montagem e 60% do lançamento dos cabos condutores das linhas de transmissão. Para a linha de transmissão Xingu – Serra Pelada, a previsão de entrada em operação é no quarto trimestre de 2022. As atividades neste trecho foram retomadas e serão aceleradas no próximo trimestre com o fim do período chuvoso na região, concluindo assim a fase de implantação do empreendimento e garantindo antecipação em relação ao prazo limite do contrato de concessão.

Veja mais notícias sobre Negócios do SulEmpresaSanta Catarina.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/