CMPC anuncia projeto sustentável bilionário no Sul

BioCMPC propõe melhorias em controles ambientais e modernização operacional
A unidade de Guaíba será uma das mais sustentáveis do Brasil em relação a gestão de resíduos e tratamento de efluentes

A multinacional de celulose CMPC divulgou nesta sexta-feira (6) um investimento de fôlego na área da sustentabilidade. Serão R$ 2,7 bilhões investidos no chamado BioCMPC, projeto que propõe melhorias em gestão e controles ambientais e modernização operacional. "É um novo passo da companhia no Brasil e não se trata apenas de um momento produtivo, mas também de melhora social e ambiental", ressalta o presidente e CEO da empresa, Francisco Ruiz-Tagle. Além de iniciativas que pretendem diminuir o uso de água e a emissão de gás carbônico, as melhorias também garantirão um aumento de cerca de 350 mil toneladas de capacidade, em conformidade com o recém renovado propósito da companhia: criar, conviver e conservar.

Os recursos destinados ao projeto serão injetados no mercado durante o período de sua implantação, que se estende por quase dois anos. Do total dos postos de trabalho a serem criados durante a obra, serão cerca de 3,7 mil empregos diretos e indiretos e 3,8 mil empregos induzidos na cadeia econômica do Rio Grande do Sul e do país. A gestão pública também ganha um importante incremento de aproximadamente R$ 350 milhões em tributos municipais, estaduais e federais.

O projeto é composto por 31 ações divididas em 3 blocos – melhoria de controles ambientais, que inclui um novo precipitador eletrostático, com 99% de eficiência na retenção de particulados, e uma nova caldeira de recuperação, que tende a reduzir até 60% dos gases do efeito estufa; gestão ambiental, onde serão pioneiros com a implementação de um centro de controle ambiental para prevenir incômodos para a sociedade ou desvio de parâmetros ambientais; e modernização operacional, que irá resultar em um aumento de 18% de capacidade produtiva a partir de ações como instalação de turbogeradores, melhorias na secagem da celulose e modernização da geração de energia térmica auxiliar.

Além dos resultados positivos, a obra também já seguirá parâmetros de sustentabilidade, com prioridade para mão de obra e fornecedores locais e resíduos reaproveitáveis. As iniciativas, segundo o presidente da CMPC no Brasil, Maurício Harger, tornarão a unidade localizada em Guaíba uma das mais sustentáveis do Brasil em relação a gestão de resíduos e tratamento de efluentes. "Nosso objetivo é a criação de uma operação mais alinhada com os valores da sociedade", finaliza.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 12 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/