Leilão confirma investimento de R$ 350 milhões no Cais Mauá

São três quilômetros de extensão do trecho concedido, entre a Usina do Gasômetro até a Estação Rodoviária
O projeto conceitual foi desenvolvido a partir das premissas do edital em parceria com a Mandaworks, empresa sueca de arquitetura e urbanismo

A parceria-público-privada que vai viabilizar mais de R$ 350 milhões na revitalização do Cais Mauá, em Porto Alegre (RS), foi formalizada na manhã desta terça-feira (6) em leilão na Bolsa de Valores (B3), em São Paulo. O prefeito Sebastião Melo e o vice-prefeito Ricardo Gomes acompanharam, na capital paulista, o ato realizado pelo Governo do Estado que confirmou a proposta apresentada pelo Consórcio Pulsa RS para recuperação e urbanização do trecho de 3 quilômetros entre a Usina do Gasômetro e a Estação Rodoviária. 

Ao longo dos últimos anos, a prefeitura trabalhou em sinergia com o Estado para viabilizar a revitalização do Cais Mauá. O município foi responsável pelas etapas de licenciamento e atualização da legislação de Porto Alegre. Em novembro de 2021, foi aprovado pela Câmara Municipal o Programa de Reabilitação do Centro Histórico, que criou instrumentos legais para recuperação e transformação urbanística da região e atrair novos empreendimentos. A partir do programa, foi definido o regime do Cais Mauá, o que garantiu potencial construtivo e segurança jurídica para viabilização do projeto.

A concessão será de 30 anos, com investimento estimado em mais de R$ 350 milhões para a recuperação do espaço. São três quilômetros de extensão do trecho concedido, entre a Usina do Gasômetro até a Estação Rodoviária, na área total de 181,2 mil metros quadrados, incluindo 12 armazéns e três docas. O vencedor da licitação deverá reestruturar armazéns tombados e pórtico central e revitalizar as docas nos cinco primeiros anos de concessão. A livre circulação para as pessoas está garantida e será proibida a cobrança de ingresso para acessar o Cais a pé. 

Conforme o consórcio vencedor da concessão, o projeto conceitual foi desenvolvido a partir das premissas do edital em parceria com a Mandaworks, empresa sueca de arquitetura e urbanismo reconhecida por iniciativas inovadoras e por projetos internacionais de grande porte, como o Porto Real de Estocolmo. A partir do leilão, há prazo de 60 dias para assinatura do contrato, análise e validação dos requisitos administrativos e econômico-financeiros do processo de concessão.

Veja mais notícias sobre Infraestrutura.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 26 Fevereiro 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/