CCR Via Sul inicia duplicação da BR-386

Os investimentos previstos são em torno de R$ 250 milhões
A obra empregará 1 mil funcionários pelo menos nos dois anos iniciais

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, participou, nesta segunda-feira (17), de ato de assinatura que dá início às obras de duplicação da duplicação da BR-386, no Rio Grande do Sul. O primeiro trecho a ser duplicado tem 20,3 quilômetros de extensão e vai entre Marques de Souza e Lajeado. A CCR Via Sul, concessionária que administra a rodovia desde janeiro de 2019, estava aguardando o recebimento da licença ambiental com as diretrizes para execução das obras. Os investimentos previstos são em torno de R$ 250 milhões.

"Assinamos o contrato inicial em 2019 e vimos que acertamos a modelagem da concessão. Espero que, cada vez mais, a iniciativa privada traga sua experiência e faça duplicações com velocidade e, sobretudo, ajude a diminuir o Custo-Brasil", declarou Freitas no início da cerimônia acompanhada pelo Portal AMANHÃ. O diretor-presidente da CCR Via Sul, Fausto Camilotti, presente no evento, anunciou que a obra empregará 1 mil funcionários pelo menos nos dois anos iniciais da construção dos 20,3 quilômetros iniciais. "Esse é o empreendimento mais importante do Rio Grande do Sul. Por ali passa quase metade dos grãos exportados pelo estado", afirmou Camilotti. Por fim, Freitas lembrou que, no começo de abril, a companhia também arrematou o bloco Sul de aeroportos, por R$ 2,1 bilhões. "Tenho certeza que os gaúchos verão o progresso que a CCR poderá fazer também no transporte aéreo", previu.

A duplicação da BR-386 será feita por trechos a cada dois anos e num prazo de uma década. O segundo trecho, de 26 quilômetros entre Fontoura Xavier e Soledade; o terceiro de 31 quilômetros entre Soledade a Tio Hugo; o quarto entre Marques de Souza a Fontoura Xavier de 56 quilômetros e finaliza entre Tio Hugo e Carazinho. A CCR já investiu R$ 500 milhões desde que chegou, em 2019 e que apenas neste ano, nos quatro trechos que administra (BRs 290, 101, 386 e 448), o aporte previsto gira em torno de R$ 370 milhões. O valor integra a soma de R$ 5 bilhões nos 30 anos previstos na concessão.

Veja mais notícias sobre InfraestruturaEmpresaRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 25 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/