Aeroporto de Maringá passa a operar cargas internacionais

Autorização foi assinada pela superintendência da Receita Federal
Terminal de Maringá passa a ser o terceiro do Paraná com alfândega, que havia apenas nos aeroportos de Foz do Iguaçu e Curitiba

O aeroporto de Maringá está apto para operar cargas internacionais. A Receita Federal autorizou o alfandegamento e a partir de agora importadoras poderão trazer cargas de todas as partes do mundo diretamente para a cidade. A autorização foi assinada pelo superintendente-adjunto da Receita Federal na terça-feira (18). Com isso, o terminal de Maringá passa a ser o terceiro do Paraná com alfândega, que havia apenas nos aeroportos de Foz do Iguaçu e Curitiba. O ato será publicado nos próximos dias no Diário Oficial da União com a autorização para o alfandegamento do Aeroporto e do Terminal de Cargas Aéreas (Teca).

Em 2022, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) já havia concedido a autorização, mas a decisão da Receita Federal era a última etapa que faltava do processo iniciado pelo município. O avanço só foi possível devido às diversas melhorias realizadas no local pela prefeitura de Maringá. Os investimentos do município transformaram o aeroporto, que ganhou a segunda maior pista do Paraná e um moderno sistema que facilita o pouso de aeronaves em situações de baixa visibilidade, como nevoeiros fortes. O superintendente do aeroporto, Fernando Rezende, destaca a posição estratégica do terminal na América do Sul. "Agora, o aeroporto terá em operação voos e decolagens de aviões cargueiros de várias partes do mundo, o terminal de cargas ativado e o posto aduaneiro internacional em pleno funcionamento. Trata-se inclusive de um primeiro passo para que no futuro Maringá possa também estar na rota de viagens internacionais", afirmou.

Modernização
Em 2021, a prefeitura entregou a nova pista de pousos e decolagens do aeroporto. Com 2.380 metros, trata-se da segunda maior pista do Paraná. No total, foram investidos R$ 81,5 milhões, com recursos do governo federal e da prefeitura de Maringá. No ano passado, pela primeira vez em 14 anos, o município zerou o prejuízo acumulado da Terminais Aéreos de Maringá SBMG S/A, empresa pública municipal que administra o aeroporto. Com lucro líquido, o aeroporto destinou R$ 549 mil em dividendos para a prefeitura da cidade, que detém 100% do capital da empresa.

O município também entregou uma ampla e moderna sala de embarque, com investimento de R$ 1,6 milhão, e assinou termo de compromisso com o governo federal para obras de ampliação e modernização do terminal de passageiros do aeroporto de Maringá. No início deste ano, o aeroporto começou a operar com o ILS, novo sistema que facilita o pouso de aeronaves em situações de baixa visibilidade, como nevoeiros fortes. No Paraná, apenas Curitiba e Foz do Iguaçu contam com o equipamento e, no Brasil, apenas 36 aeroportos têm o sistema de pouso.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 21 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/