A SAF pode melhorar o nível do futebol brasileiro?

O país tem cerca 840 clubes e a grande maioria está com dificuldades financeiras
Times como o Athlético Paranaense e o América Mineiro constituíram a sociedade e discutem a possibilidade de não alienar o controle

Com a aprovação da lei da Sociedade Anônima do Futebol (SAF), em agosto do ano passado, os clubes brasileiros passaram a ter a opção de transformar o futebol numa S/A. Um dos formuladores da lei, o advogado José Francisco Cimino Manssur, especialista em direito desportivo e sócio do escritório Ambiel Advogados, explica que a SAF foi criada para que o clube pudesse receber investimentos que não poderia receber como associação. "A SAF não é uma contestação do modelo atual. Ela é uma tentativa de criar novas fontes de receita para o clube melhorar sua performance, reter seus talentos, ganhar competições, atrair mais público e mídia, criando assim um ciclo virtuoso de investimentos", explica Manssur.

O advogado detalha que a sociedade anônima, específica para o futebol, tem suas leis próprias e, ao aderir, o clube pode fazer a reestruturação das suas dívidas anteriores à adesão com um plano de pagamento exequível. "O Brasil tem cerca 840 clubes e a grande maioria está com dificuldades financeiras. Com a SAF, além da possibilidade da entrada de novos recursos, do planejamento para o saneamento de dívidas, implantação de governança, compliance e responsabilidade financeira, há uma importante mudança cultural que, se bem utilizada por pessoas capacitadas, porque não é uma fórmula mágica, pode trazer uma perspectiva para solução de dívidas", destaca Manssur.

Mas a SAF não se limita apenas aos clubes com dívidas. O advogado cita que equipes com finanças saneadas e gestão profissional, também aderiram como forma de melhorar o rendimento das equipes. "Times como o Athlético Paranaense e o América Mineiro constituíram a sociedade e discutem a possibilidade de não alienar o controle. Eles pretendem criar uma nova receita para elevar o nível do seu futebol e passar a disputar títulos nacionais e internacionais com reais chances de conquista. Como se diz na gíria do futebol, subir de patamar e isso, consequentemente, vai melhorar o nível do nosso futebol", conclui Manssur.

Veja mais notícias sobre GestãoBrasil.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/