Sidebar Menu

Vapza fornece 42 produtos com certificação Halal para países de religião islâmica

Produção e manipulação de alimentos têm regras estritas e abrem mercado
A Vapza também segue outras normas de gestão da qualidade aplicáveis à Certificação Halal e que atendem as exigências dos países do Golfo

A produção e manipulação de alimentos destinados a países de religião islâmica segue regras estritas e grandes empresas brasileiras acabaram desenvolvendo linhas adequadas a esse padrão de consumo. Uma delas, a paranaense Vapza Alimentos obteve a Certificação Halal para fornecer produtos embalados a vácuo e cozidos a vapor. São 42 produtos endereçados à população muçulmana. O selo é emitido por uma entidade certificadora e atesta que determinada empresa segue os requisitos legais baseados na Shariah quando produz e comercializa alimentos.

Uma das especificações que a certificação exige é que durante o abate do animal, sua face esteja voltada para a Meca, o que é seguido pelos frigoríficos fornecedores da Vapza. Outros processos são igualmente importantes, como o fato de a faca estar bem afiada e não ser amolada em frente ao animal, ele não estar com sede no momento que antecede o abate e o corte ser no pescoço em um movimento de meia-lua.

Os muçulmanos podem comer frutos do mar, algo que eles já consideram purificados, e outros tipos de carne, exceto suínos, pois são considerados impuros. Por esse motivo, a linha de produção da Vapza baseada na Certificação Halal passa por processos de limpeza e análise constante, garantindo a não existência de contaminação cruzada com ingredientes de procedência suína.

A Vapza também segue outras normas de gestão da qualidade aplicáveis à Certificação Halal e que atendem as exigências dos países do Golfo, validada por órgãos oficiais como o GAC. "Entre os requisitos, atender as normas de gestão da qualidade como boas práticas, análise constante para verificação de contaminação cruzada e certificação de que não haja nenhum item definido como Haram, itens de consumo ilícito de acordo com o Islamismo", explica o CEO Enrico Milani.

O instituto Pew Research Center realizou mais de uma década de pesquisas globais sobre religião, e afirma que os islâmicos já representam mais de 1,8 bilhão de pessoas em todo o mundo. Outra estimativa é a de que essa seja a religião mais popular do mundo em até 40 anos, ultrapassando o cristianismo. O país com maior quantidade de muçulmanos no mundo é a Indonésia, com 90% da população islâmica, seguida por Paquistão, Turquia, Catar, Índia e Egito, entre outros localizados principalmente no Oriente Médio, norte da África e sul da Ásia.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulParaná.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 17 Junho 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection