Tupy tem maior faturamento da história

A empresa de Joinville também reverteu o prejuízo de 2020 em lucro
De acordo com a empresa, os volumes seguem uma trajetória de recuperação

A Tupy anunciou sua maior receita líquida de sua história. Em 2021, a companhia catarinense vendeu R$ 7 bilhões, valor 66,4% maior do que no ano anterior. A empresa de Joinville também reverteu o prejuízo de 2020 em lucro que ultrapassou os R$ 200 milhões (veja os principais indicadores na tabela ao final desta reportagem).

A companhia foi preparada, em 2021, para atender demanda de bens de capital compatível com os fortes indicadores econômicos. No entanto, a restrição na oferta de semicondutores resultou em vendas relativamente baixas e paradas repentinas de produção. Além disso, a instabilidade no fornecimento de eletricidade e gás, no México, promoveu paradas adicionais. "O ano também foi marcado por inflação de materiais e energia sem precedentes, que foi plenamente compensada com repasses de custos. No entanto, tais repasses, em sua grande maioria, ocorrem em valores absolutos e, portanto, observamos compressão das margens", relata a Tupy em seu relatório anual.

De acordo com a empresa, os volumes seguem uma trajetória de recuperação, apresentando no quarto trimestre crescimento de 34% em relação ao mesmo período do ano anterior, decorrente da aquisição das plantas de Betim e Aveiro, que representaram cerca de 31 mil toneladas no período. Também contribuíram para esse desempenho a elevação de 17% das vendas no segmento de transporte, infraestrutura e agricultura no mercado externo, devido ao desempenho positivo dos mercados, em especial para aplicações para veículos comerciais médios e pesados e off-road.

No quarto trimestre, 52% das receitas tiveram origem na América do Norte. A companhia destaca que diversos clientes localizados nos Estados Unidos exportam seus produtos para inúmeros países. Desta forma, uma parcela relevante das vendas para esta região atende à demanda global por veículos comerciais, máquinas e equipamentos off-road.

"Se por um lado gargalos pontuais da cadeia fizeram com que a produção de bens de capital não refletisse integralmente o desempenho da economia, a demanda reprimida e necessidade de recomposição de estoques contribuirão para o aumento dos volumes à medida que as cadeias globais normalizarem", prevê a companhia. No ano, a Tupy investiu R$ 136,1 milhões, valor 88,3% maior do que em 2020. Os valores referem-se, principalmente, a novos programas de fundição e usinagem, sistemas de informação e automação, além de iniciativas relacionadas à segurança e meio ambiente.

A Tupy é a 37ª maior empresa da região e também a nona maior de Santa Catarina, de acordo com o ranking 500 MAIORES DO SUL, publicado pelo Grupo AMANHÃ com o apoio técnico da PwC. Leia o anuário completo clicando aqui, mediante pequeno cadastro.

Quer saber mais sobre empresas do Sul?
Receba diariamente a newsletter do Grupo AMANHÃ. Faça seu cadastro aqui e, ainda, acesse o acervo de publicações do Grupo AMANHÃ.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulSanta Catarina.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 27 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/