Meta de R$ 18 milhões no horizonte da PipeRun

Salestech tem focado em um caminho de independência, além de ter feito a primeira aquisição em 2022
Diretores da PipeRun comemoram os resultados

Criada em 2017, a PipeRun chama a atenção pelo crescimento agressivo. Nos últimos cinco anos, a salestech cresceu 1.500% em receita recorrente mensal (MRR). De R$ 68 mil em janeiro de 2018 para R$ 1 milhão no início deste ano — atingindo um receita recorrente anual (ARR) de R$ 12 milhões. A expansão em número de clientes chegou aos 50% em 2022, saindo de 1 mil contas para cerca de 1,5 mil clientes ativos na plataforma. A meta para o segundo semestre de 2023, segundo os fundadores, além de chegar aos R$ 18 milhões de ARR, está na consolidação dos lançamentos de versões do CRM de vendas e atendimento verticalizadas por segmentos. E isso pode acelerar novas aquisições, algumas já mapeadas pela empresa.

Independência e aquisições
Por definição estratégica do negócio, a PipeRun segue apostando no modelo bootstrapping e resistindo às investidas de grandes empresas do segmento de tecnologia. Mais que isso: em vez de vender, foi ao mercado para comprar. A plataforma de vendas fez a primeira aquisição em outubro do ano passado, quando adquiriu a startup 5Hub, que atendia mais de 100 grandes empresas, incluindo marcas como Marcopolo, Feltrim e Brinox. Com a aquisição no final de 2022, no primeiro trimestre deste ano, a empresa deu total atenção aos processos de integração dos 15 colaboradores e a carteira de 100 grandes clientes, no segundo trimestre o foco está na infraestrutura do projeto, que agora já está totalmente integrado à empresa e pronto para suportar a escala de crescimento da PipeRun.

"A operação da aquisição culminou com a criação do CRM de Atendimento, uma plataforma omnichannel que passou a complementar o nosso produto original, o CRM de vendas. Temos tido uma boa adesão dos atuais clientes aos novos módulos de chatbot, pesquisas CX, protocolos de atendimento, captura de leads e WhatsApp, além de termos um ótimo crescimento de novos clientes ao novo produto", afirma o Chief Technology Officer, Osvaldo Gehm. Os lançamentos já estão sendo realizados em eventos presenciais que a empresa está expondo os novos produtos como: South Summit, ERP Summit, ABRINT, ViaSoft Connect, e Growth Conference/Digitalks. Além disso, a PipeRun tem conduzido várias apresentações privadas para os segmentos de startups e tecnologia, redes e franqueadoras, bancos e fintechs, energia solar, logística e transportes e provedores de internet e telefonia — setores para os quais os produtos já estão modelados verticalmente.

A operação é majoritariamente ancorada no crescimento em vendas, contando com uma retenção de 97% dos clientes ano a ano. "Para financiar a operação, o melhor dinheiro do mercado sempre foi o dos clientes. Então, nosso foco sempre será o cliente: ele que colabora para melhorar os produtos e serviços. Assim, todos crescemos juntos e, também, ajudamos o país a crescer", pontua o Chief Revenue Officer, Fausto Reichert. A startup também fez duas captações via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e com a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), apoiados pelo Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a cooperativa de crédito Cresol. "Nossa captação foi de títulos com carências, taxas especiais e longo prazo para pagamento. Para uma empresa com vendas como as nossas, isso é melhor administrado, pois visualizamos o investimento nos produtos transformar-se rapidamente em novas recorrências (MRR), além de retornar em contratações e impostos", explica o CEO Cezar Augusto Gehm Filho.

Oportunidades de emprego
Para dar conta do ritmo dessa expansão, a empresa pretende aumentar o time em 25 pessoas — dez já estão abertas — um movimento na contramão dos layoffs em série do setor de tecnologia. Em 2022 eram 40 profissionais e, agora, já soma 80. Até dezembro, a startup espera superar a casa dos 100 colaboradores. As oportunidades disponíveis no momento são para os cargos de analista de customer success, de implantação, de curadoria de chatbots e de marketing de produto e UI/UX designer, além do cadastro no banco de talentos. A empresa — que detém o certificado Great Place to Work e pontuação 4,9 no Glassdoor — chega a ter mais de 200 candidatos por vaga.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 14 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/