Grupo Panvel fecha segundo trimestre com crescimento de 10,4% na receita

Venda de produtos da marca própria também foi destaque no período
A companhia ainda abriu 11 lojas entre abril e junho, além de fazer investimentos em logística e em tecnologia

O Grupo Panvel anunciou que faturou R$ 1,2 bilhões no segundo trimestre, valor 10,4% superior em comparação ao mesmo período do ano passado. Entre os destaques para o desempenho positivo está a performance das vendas nos canais digitais, dos produtos de higiene e beleza e da marca própria da companhia. No período, o e-commerce obteve participação de 19,4% das vendas nos canais digitais, índice recorde na história da companhia. "Investimos no aperfeiçoamento constante dos nossos canais e percebemos que a maturação de alguns projetos ao longo do último ano, como a implantação de ferramentas de social commerce, contribuiu de forma relevante para esse crescimento", afirma o CEO do Grupo Panvel, Julio Mottin Neto.

"O crescimento da venda e do resultado frente a uma base de comparação muito forte do segundo trimestre de 2022 reforça a qualidade de execução da Panvel", pontua o executivo. Esse resultado veio acompanhado do décimo segundo trimestre consecutivo de ganho de market share na região Sul, 11,7% do mercado total, segundo dados do IQVIA. A empresa ressalta também o aumento da venda da marca própria, que apresentou alta de 17,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Os produtos Panvel responderam por 6,9% do total das vendas das farmácias. "A marca própria é uma frente estratégica para o nosso negócio. Estamos sempre em um intenso trabalho de pesquisa e desenvolvimento de produtos e buscamos traduzir as tendências para as necessidades e preferências dos nossos clientes", reforça Mottin. atualmente a Panvel conta com mais de 1 mil itens de marca própria.

Segundo o diretor financeiro e de relações com investidores do Grupo Panvel, Antônio Napp, no trimestre, a companhia ainda abriu 11 lojas, fez investimentos em logística e em tecnologia e segue com uma das mais baixas alavancagens financeiras do varejo. "Encerramos o primeiro trimestre com dívida e alavancagem baixas e melhoramos o ciclo de caixa em 11 dias. Temos fôlego para continuar investindo e crescendo, mesmo em um cenário de taxas de juros elevadas", assegura. Napp também reforça a margem bruta estável da Panvel em 31%, mesmo quando comparada a um segundo trimestre de 2022 que teve uma remarcação de preços de medicamentos acima de 10%. "Além disso, seguimos em uma fase de colheita de ganhos de produtividade, com aumento da receita média por loja e de diluição de despesas com vendas principalmente das lojas e de nossos centros de distribuição. Esse movimento tem papel importante na expansão das nossas margens ao longo de todo o ano de 2023", explica.

No mês de julho, foi anunciada a liberação por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a realização de novos testes e exames nas farmácias. Com isso, a perspectiva da companhia é ampliar essa avenida de serviços e consolidar. "Temos estrutura para complementar nosso atendimento aos clientes. Nesse trimestre, alcançamos a marca de 574 lojas em operação – com 373 Panvel Clinic (59,8% das lojas) e 90 salas de vacinação (15,7% das lojas)", enumera Napp. A Panvel é a 72ª maior empresa da região e também a 31ª maior do Rio Grande do Sul, de acordo com o ranking 500 MAIORES DO SUL, publicado pelo Grupo AMANHÃ com o apoio técnico da PwC com base nos balanços do exercício de 2021. Leia o anuário completo clicando aqui, mediante pequeno cadastro.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 13 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/