Engie vende fatia de 15% de participação na TAG para CDPQ

A transação está avaliada em R$ 3,1 bilhões
Decisão está alinhada ao plano de investimentos da Engie

A Engie e o CDPQ, grupo de investimento global, ambos já sócios na Transportadora Associada de Gás (TAG), anunciaram um acordo de venda de fatia de 15% de participação da companhia catarinense para o CDPQ. O principal objetivo da Engie é promover a rotação de ativos e concentrar a atenção no plano de investimentos da companhia em geração e transmissão de energia elétrica. A transação está avaliada em R$ 3,1 bilhões, sujeitos a ajustes usuais de preço. A conclusão da operação financeira está prevista para o final de janeiro de 2024, observadas as condições precedentes definidas no contrato de compra e venda. "A venda parcial está alinhada ao nosso plano de investimentos em novas plantas renováveis e transmissão de energia, possibilitando a melhor alocação de capital nestes dois segmentos que estão no centro da nossa estratégia de crescimento", comentou Eduardo Sattamini, diretor-presidente da companhia.

O plano de investimentos em ativos de geração de energia renovável e infraestrutura de linhas de transmissão integra os objetivos estratégicos do Grupo Engie no país. "Desde 2016, a Engie investiu mais de R$ 20 bilhões em ativos de geração renovável e linhas de transmissão. Para os próximos anos, a companhia prevê mais de R$ 13 bilhões em investimentos", destaca Maurício Bahr, presidente do conselho de administração da empresa sediada em Florianópolis. A companhia adicionará 2GW de capacidade instalada em geração eólica e solar nos próximos dois anos: o Conjunto Eólico Santo Agostinho, no Rio Grande do Norte, já se encontra em fase avançada de implantação e terá capacidade instalada total de 434 MW quando concluído; o Conjunto Eólico de Assuruá, na Bahia, que totalizará 846 MW de capacidade instalada, com entrada gradual em operação a partir do segundo semestre de 2024; e o Conjunto Fotovoltaico Assu Sol, também no Rio Grande do Norte, que chegará a 752 MW de capacidade instalada, com operação comercial integral prevista para o segundo semestre de 2025.

Além disso, neste ano a companhia deu início à mobilização das equipes para a implantação do projeto Asa Branca, que totalizará cerca de 1 mil quilômetros de linhas de transmissão entre os Estados da Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo. Recentemente, a empresa também assinou contrato de aquisição de cinco conjuntos fotovoltaicos da Atlas Energia Renovável do Brasil e a transação encontra-se em curso. A Engie é a 16ª maior empresa da região e também a quinta maior de Santa Catarina, de acordo com o ranking 500 MAIORES DO SUL, publicado pelo Grupo AMANHÃ com o apoio técnico da PwC Brasil. Acesse o ranking completo clicando aqui.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulSanta Catarina.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 21 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/