Biopark firma acordo para receber 10 empresas chilenas por semestre

Troca de experiências e tecnologias prevê a vinda de 10 startups chilenas a cada semestre para o Parque Tecnológico do Oeste do Paraná
O convênio permite ainda a abertura de novas possibilidades de negócios, pesquisa, desenvolvimento e intercâmbio de conhecimento e educacional

Com o objetivo de se tornar uma grande incubadora de projetos internacionais, fora das regiões mais densas do Brasil, o Parque Tecnológico no Oeste do Paraná (Biopark) trabalha para atrair startups chilenas que buscam ambientes de intercâmbio. Uma aliança acaba de ser assinada com o ProChile, instituto do Ministério das Relações Exteriores do governo chileno. Dois editais do Programa de Residência do Ecossistema vão selecionar iniciativas das áreas de agronegócio, biotecnologia e tecnologia da informação.

A intenção é que essas empresas possam expandir seus negócios no Paraná, crescendo em faturamento e número de colaboradores, para ficar mais de um ano. "Nosso programa tem duração inicial de dois meses, nos quais as startups chilenas irão receber um acompanhamento totalmente personalizado para iniciar o softlanding no Brasil, como o auxílio na abertura de mercado e negócios, bem como nas partes burocráticas de abertura de empresas, entre outros", explica o presidente do Biopark, Victor Donaduzzi.

O convênio permite ainda a abertura de novas possibilidades de negócios, pesquisa, desenvolvimento e intercâmbio de conhecimento e educacional. "O Chile é referência e inovação e apoio a novas startups e empreendimentos, o que permite também conectar as nossas mais de 180 empresas com esse ecossistema", realça Donaduzzi. O Biopark está localizado em Toledo, região Oeste do Paraná, em uma área de mais 5 milhões de metros quadrados. Duas mil pessoas circulam diariamente em seu território. Atualmente, mais de 180 empresas já atuam no local. Três instituições federais de ensino estão instaladas no Biopark: a Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e o Instituto Federal do Paraná (IFPR). Em 30 anos, o Biopark deve receber mais de 500 empresas, oferecer 30 mil postos de trabalho e abrigar uma população de 75 mil moradores.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 24 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/