PIB gaúcho tem leve queda de 0,1% no terceiro trimestre

Economia do Rio Grande do Sul acumula alta de 2,5% no ano
"Após um período de crescimento significativo até junho em função do impulso da agropecuária, a economia gaúcha manteve-se estável no terceiro trimestre", apontou o pesquisador Martinho Lazzari (Foto: Henrique Dadalt)

O PIB do Rio Grande do Sul apresentou variação negativa de 0,1% no terceiro trimestre de 2023 na comparação com o trimestre anterior. Em relação ao mesmo período de 2022, a economia do estado registrou variação de 0,1%. Na soma de 2023 na comparação com os três trimestres do ano anterior, a variação positiva do PIB em 2,5% é sustentada pela agropecuária, que mesmo com a estiagem do início do ano se recuperou em relação ao período ainda mais severo de 2022, com alta de 26,5%, e pelos serviços (+2,9%). A indústria apresentou retração de 5% entre janeiro e setembro deste ano.

Os resultados da economia gaúcha entre os meses de julho e setembro foram divulgados nesta quinta-feira (28) pelo Departamento de Economia e Estatística, vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (DEE/SPGG). O terceiro trimestre do ano é o período tradicionalmente marcado pela menor influência das atividades agropecuárias no PIB, segmento que tem no primeiro semestre seu maior impacto. "Os dados divulgados revelam que, após um período de crescimento significativo até junho em função do impulso da agropecuária, a economia gaúcha manteve-se estável no terceiro trimestre. Essa estabilidade reflete um padrão semelhante ao observado na economia brasileira durante o mesmo período", apontou o pesquisador em economia do DEE, Martinho Lazzari.

A queda na agropecuária foi o principal diferencial no desempenho do Rio Grande do Sul e do país na comparação do terceiro com o segundo trimestre de 2023. Enquanto no estado a baixa foi de 15,5%, no país o segmento registrou queda de 3,3%. Na indústria, o crescimento de 1% foi sustentado pelo desempenho da indústria de transformação (+1,0%), a principal da economia gaúcha, e da atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana (+7,4%). Nos serviços, segmento mais representativo do PIB, o avanço de 0,6% foi o mesmo do registrado no país, com destaque para o desempenho positivo das atividades do comércio (1,8%), intermediação financeira e seguros (1,5%) e serviços de informação (1,4%).

Em relação ao mesmo trimestre de 2022, o terceiro trimestre do ano apresentou desempenho positivo na agropecuária (+3,8%) e nos serviços (+2,2%), enquanto a indústria registrou queda de 3,9%. Na agropecuária, mesmo sendo menor a repercussão da produção agrícola no trimestre, o período de julho a setembro foi marcado pelos crescimentos de 32,0% na produção de milho e de 35,4% na produção de soja, enquanto as culturas tradicionais de inverno apresentaram variações negativas na quantidade produzida, como o trigo (-29,8%) e aveia (-16,9%).

No segmento industrial, os resultados da indústria de transformação (-3,8%) e da construção (-6,9%) tiveram maior impacto nos números do período. Na transformação, das 14 atividades do estado, 12 apresentaram baixa nos números, entre elas a de máquinas e equipamentos (-10,8%), produtos de metal (-15,6%) e produtos de borracha e material plástico (-12,4%). Nos serviços, as atividades de intermediação financeira e seguros (+8,4%) tiveram destaque, assim como as atividades imobiliárias (+2,4%) e outros serviços (+2,3%). O comércio também teve resultado positivo (+1,3%) e entre suas atividades registraram as altas de maior repercussão os hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+7,0%), comércio de veículos (+7,4%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (+6,5%).

Veja mais notícias sobre BrasilEconomiaRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 22 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/