Santa Catarina ultrapassa 7 milhões de doses aplicadas

Matriz de risco aponta apenas uma região em nível gravíssimo
Mesmo com a melhora dos números, o governo estadual destaca a importância de se manter os cuidados básicos para evitar o contágio

A matriz de risco potencial divulgada neste sábado (11) pelo governo de Santa Catarina mostra que somente a região Nordeste está classificada com risco gravíssimo (cor vermelha) para Covid-19. Outras sete regiões apresentam risco grave (cor laranja) e oito risco potencial alto (amarelo).

A capacidade de atenção permanece sendo o destaque positivo da avaliação, com apenas as regiões Nordeste, Planalto Norte e Xanxerê tendo nota máxima de risco. Todas as outras estão em níveis mais baixos. Por outro lado, os índices de monitoramento e gravidade são mais preocupantes, pois trazem todas as regiões em níveis altos, graves ou gravíssimos de atenção.

As regiões em risco alto são Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Alto Vale do Rio do Peixe, Extremo Oeste, Foz do Rio Itajaí, Grande Florianópolis, Meio Oeste e Serra Catarinense. Já as em risco grave são Carbonífera, Extremo Sul, Laguna, Médio Vale do Itajaí, Oeste, Planalto Norte e Xanxerê.

Como a matriz classifica o risco das regiões
A matriz é organizada em quatro dimensões de prioridade: gravidade, transmissibilidade, monitoramento e capacidade de atenção. A variável de óbitos na semana por 100 mil habitantes se denomina gravidade e é a informação epidemiológica mais precisa. A dimensão também aborda a tendência de internação por Síndrome Respiratória Aguda Grave por 100 mil habitantes.

A taxa de transmissibilidade (Rt) é agrupada com o número de infectantes por 100 mil habitantes na dimensão de transmissibilidade. Já a de monitoramento avalia as variáveis de cobertura vacinal em maiores de 18 anos com segunda dose ou dose única completa, bem como a variação de número de casos semanal. A capacidade de atenção, por sua vez, é a taxa de ocupação de leitos de UTIs adulto SUS reservado para Covid-19.

Imunização
O mês de setembro começa com mais uma marca importante no combate ao coronavírus: Santa Catarina ultrapassou 7 milhões de doses registradas como aplicadas. Além disso, mais de 30% da população está com o esquema vacinal completo, tendo recebido as duas doses ou a dose única. 

Agosto alcançou os melhores resultados de vacinação no estado. Foram 1.900.578 doses aplicadas nos 31 dias do mês, demonstrando que Santa Catarina vem acelerando na imunização da população. Dentro dos grupos prioritários, o vacinômetro demonstra que 78% do público alvo já recebeu as duas doses ou a dose única.

Dados da Secretaria Estadual da Saúde revelam que 143 municípios catarinenses não registraram nenhum óbito em decorrência da Covid-19 em agosto, segundo notificações encaminhadas pelas gestões municipais. O número representa uma melhora significativa em relação a julho, quando 98 cidades não tiveram mortes causadas pelo coronavírus.

O número de municípios sem óbitos em agosto é o maior desde novembro de 2020, quando 159 não registraram mortes. Os municípios mais populosos da lista dos que não registraram óbitos em agosto são Biguaçu, Braço do Norte, Sombrio, Forquilhinha, Guabiruba, Itaiópolis, Urussanga, Garuva, Seara e Governador Celso Ramos. Os 143 somam uma população de aproximadamente 936 mil habitantes.

Mesmo com a melhora dos números, o governo estadual destaca a importância de se manter os cuidados básicos para evitar o contágio. Entre eles, estão o uso de máscara, distanciamento entre as pessoas, ventilação dos ambientes e higienização constante das mãos.

Veja mais notícias sobre CoronavírusSaúdeSanta Catarina.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 28 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection